Logo BP Money
China: exportações crescem acima do esperado em julho
Golpes bancários disparam e devem gerar prejuízos bilionários em 2022
Brasil

Janones aceita dialogar com Lula para eventual união no 1º turno

Candidato do Avante não citou desistência na corrida presidencial, nem deixou claro seu posicionamento sobre apoio em primeiro turno

por Redação BP Money

29 de julho de 2022 17:42Atualizado em: 29 de julho de 2022 18:02
Janones aceita dialogar com Lula para eventual união no 1º turno
André Janones não citou desistência na corrida presidencial/Divulgação

O candidato à Presidência da República pelo Avante André Janones aceitou dialogar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, para uma eventual união para o primeiro turno das eleições. O petista vinha buscando a possibilidade de atrair o atual adversário para sua candidatura, e fez, inclusive, um convite público para uma conversa entre os dois. 

Nesta sexta-feira (29), Janones escreveu em suas redes sociais: “Bolsonaro me bloqueou, Ciro não aceitou encontrar comigo, Tebet ignorou por completo minha existência, enquanto aquele que lidera as pesquisas pediu publicamente para conversar comigo. Humildade e democracia andam lado a lado. Convite aceito”.

Lula respondeu dizendo que política se faz com diálogo e juntando pessoas pelo bem comum. O candidato finalizou dizendo que irá ligar para Janones. 

Ainda assim, André Janones não citou desistência na corrida presidencial, nem deixou claro seu posicionamento sobre apoio em primeiro turno. Ainda assim, em entrevista à Globonews nessa semana, ele afirmou que chegou a cogitar abandonar sua candidatura em prol da “luta em favor da democracia”.

A última pesquisa do Datafolha, divulgada na quinta-feira (28), apontou que Janones tem 1% das intenções de voto para as eleições deste ano. Lula, por outro lado, tem 47%, com possibilidades de vencer em primeiro turno, caso obtenha 50% mais 1 voto, pelo menos, nas urnas, desconsiderando os nulos e brancos. Nesse sentido, a chance do petista pode aumentar se o número de candidaturas diminuir.

Tanto em discursos ou entrevistas, Lula tem reiterado que seu desejo nessas eleições é vencer já no primeiro turno. Esse é, inclusive, um dos motivos apontados pelo candidato para formar uma aliança com Geraldo Alckmin, do PSB, um de seus antigos adversários e atual vice na chapa. Por isso, Lula tem dialogado com diferentes partidos nos bastidores em um esforço para impulsionar suas chances de vitória na primeira rodada de votações.