Logo BP Money
Criptomoedas: 51% dos latino-americanos já utilizaram ativos digitais, aponta pesquisa da Mastercard
AliExpress anuncia ampliação no número de voos para o Brasil
Brasil

Greve dos caminhoneiros: líder faz novo alerta sobre paralisação

O líder dos caminhoneiros, Wallace Landim, mais conhecido como Chorão, demonstrou indignação com o novo aumento dos preços dos combustíveis

por Alexandre Puga

17 de junho de 2022 13:33Atualizado em: 17 de junho de 2022 13:36
Greve dos caminhoneiros: líder faz novo alerta sobre paralisação

O líder dos caminhoneiros, Wallace Landim, mais conhecido como Chorão, em carta enviada à imprensa, fez novos alertas sobre uma possível greve dos caminhoneiros. O presidente da Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava) demonstrou indignação com o novo aumento dos preços dos combustíveis, que foi divulgado pela Petrobras (PETR3;PETR4) nesta sexta-feira (17).

"A verdade é que, de uma forma ou outra, mantendo-se essa política cruel de preços da Petrobras, o país vai parar novamente. Se não for por greve, será pelo fato de se pagar para trabalhar. A greve é o mais provável”, escreveu Chorão em nota. 

No documento, Chorão fez duras críticas ao governo de Jair Bolsonaro (PL) e afirmou que a grande falha do mandato de Bolsonaro foi "não ter reestruturado a Petrobras e suas operações no início do governo, de não ter dado início a mudanças estruturantes na empresa". Chorão ainda criticou Paulo Guedes, ministro da Economia. 

“O governo se acomodou e, por ironia do destino, o ministro apelidado de posto Ipiranga, que deveria resolver esse problema, é o grande culpado deste caos. Hoje chegamos nesse ponto crítico, sendo que ainda temos sérios riscos de falta de diesel. Bolsonaro precisa entender que ficar dando ‘chilique’ não vai resolver o problema”, escreveu Chorão, que liderou a greve dos caminhoneiros em 2018. 

Petrobras anunciou novo reajuste nesta sexta-feira 

A Petrobras (PETR3;PETR4) divulgou nesta sexta-feira (17) que fará um novo ajuste nos seus preços de venda da gasolina e do diesel para as distribuidoras. O preço da gasolina estava congelado nas refinarias há quase 100 dias, enquanto o diesel teve o preço elevado pela última vez há 36 dias.

Dessa forma, após 99 dias, a partir de 18/06, o preço médio de venda de gasolina da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 3,86 para R$ 4,06 por litro. O último reajuste ocorreu em 11/03.

Para o diesel, após 39 dias, a partir de 18/06, o preço médio de venda da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 4,91 para R$ 5,61 por litro. O último reajuste ocorreu em 10/05.

Antes do anúncio de novo aumento nos preços da gasolina e do diesel, Bolsonaro escreveu nas suas redes sociais que a Petrobras pode “mergulhar o Brasil num caos”.