Logo BP Money
Criptomoedas: 51% dos latino-americanos já utilizaram ativos digitais, aponta pesquisa da Mastercard
AliExpress anuncia ampliação no número de voos para o Brasil
Brasil

Conselho da Petrobras (PETR4) debate troca na presidência

A Petrobras, em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), afirmou que não tomou qualquer decisão

por Alexandre Puga

9 de junho de 2022 14:29Atualizado em: 9 de junho de 2022 14:30
Conselho da Petrobras (PETR4) debate troca na presidência

O conselho de administração da Petrobras (PETR3;PETR4) debateu a troca no comando da presidência da gigante petrolífera brasileira a pedido do governo federal na quarta-feira (08). Em comunicado enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), a Petrobras afirmou que não tomou qualquer nova decisão. 

O portal “CNN” reportou que o conselho da Petrobras debateu uma manobra para a aprovação interna de Caio Mario Paes de Andrade como o novo presidente sem a assembleia geral de acionistas.

Em 23 de maio, o governo federal anunciou a demissão de José Mauro Ferreira Coelho, presidente da Petrobras até então. Ferreira Coelho foi demitido 40 dias após sua chegada à presidência da petroleira. Para assumir o cargo de presidente, foi indicado Caio Mário Paes de Andrade, que ocupava o cargo de secretário da Desburocratização, no Ministério da Economia. 

O governo de Jair Bolsonaro (PL) tem explorado constantemente o assunto Petrobras, principalmente por conta dos aumentos nos preços dos combustíveis. Bolsonaro tem afirmado em reuniões internas do governo que as novas altas dos combustíveis o farão "perder a reeleição". De acordo com o portal “G1”, Bolsonaro afirmou que não quer mais reajustes no diesel, gás de cozinha e gasolina até a eleição, que será realizada em outubro de 2022.  

Além da alta dos combustíveis, o governo tem discutido internamente a privatização da gigante petrolífera brasileira desde a nomeação de Adolfo Sachsida como novo ministro de Minas e Energia. O presidente Bolsonaro alega que a privatização é uma tarefa difícil, pois “há uma grande dificuldade, reunião de conselho, uma burocracia enorme”.

Em comunicado emitido na última quarta-feira (8), a Petrobras indicou que o preço do diesel continuará seguindo a tendência de alta e aumentará nas próximas semanas, servindo como resposta às pressões feitas pelo governo federal para que a estatal altere sua política de preços.