Privacidade e cookies: Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiencia como utilizados.Ao continuar a usar este site, você concorda com seu uso. Visite nossa Política de Cookies para saber mais.
Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir

Brasília

CAE aprova projeto que muda política de preços de combustíveis

Redação BP Money em 7 de dezembro de 2021 13:02
  • Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou projeto que muda a política de preços de combustíveis da Petrobras;
  • Para a continuidade no Congresso, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) precisa colocar o texto em pauta;
  • Desde o início do ano, a Petrobras realizou 11 aumentos e 4 reduções do preço da gasolina nas refinarias, acumulando elevação 74,1%.

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) aprovou nesta terça-feira (7) o projeto que muda a política de preços de combustíveis da Petrobras. O texto agora caminha para apreciação no plenário da Casa. 

O substitutivo apresentado pelo senador Jean Paul Prates (PT-RN) inclui: criação de um Programa de Estabilização dos preços do diesel, gasolina e gás liquefeito de petróleo; instituição do imposto de exportação sobre o petróleo bruto, com alíquotas variáveis com o preço do barril, que vão de 2,5% a 20%. 

Além disso, a matéria aponta que também poderão ser fontes de custeio do programa:  dividendos da Petrobras devidos à União, recursos de concessões e partilhas de exploração e até reservas cambiais do Banco Central, conforme o Poder 360.

Para a continuidade no Congresso, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) precisa colocar o texto em pauta. No plenário, o projeto não irá direto para votação. 

O texto funciona como uma maneira de responder à alta de preços dos combustíveis, como é o exemplo da gasolina vendida nos postos, que superou a máxima real de 2003 e atingiu em novembro o maior valor em 20 anos.

Desde o início do ano, a Petrobras realizou 11 aumentos e 4 reduções do preço da gasolina nas refinarias, acumulando elevação 74,1%. Já em relação ao diesel, a estatal fez 9 aumentos e 3 reduções, acumulando alta de 64,7%.

Relacionadas