Logo BP Money
China: exportações crescem acima do esperado em julho
Golpes bancários disparam e devem gerar prejuízos bilionários em 2022
Negócios

Criminosos usam novo sistema do BC para realizar golpes no WhatsApp

O “Valores a Receber”, assim que foi lançado, registrou tanta procura que acabou tirando o site do BC do ar

por Redação BP Money

10 de fevereiro de 2022 18:10Atualizado em: 31 de maio de 2022 8:22
Criminosos usam novo sistema do BC para realizar golpes no WhatsApp
Foto: Divulgação

O novo sistema do Banco Central que "caça" dinheiro esquecido de instituições financeiras acabou de ser lançado, mas os golpistas já deram um jeito de tirar proveito. O “Valores a Receber”, assim que foi lançado, registrou tanta procura que acabou tirando o site do BC do ar e só voltará a funcionar na próxima segunda-feira (14).

No entanto, mesmo fora do ar, golpistas vêm utilizando a ferramenta para subtrair valores de pessoas desavisadas. Empresa de segurança cibernética, a Kaspersky diz ter identificado "diversos sites falsos explorando o sistema do BC". 

“Os criminosos solicitam nome completo e CPF em troca de uma consulta no sistema do Banco Central, mas vale lembrar que a ferramenta está indisponível”, afirmam os consultores da Kaspersky, em comunicado, segundo o InfoMoney. 

O GOLPE
O novo esquema acontece quase que do mesmo jeito que os disseminados no aplicativo de mensagens. As vítimas recebem uma mensagem chamativa enviada pelo app de mensagem que precisa ser compartilhada com dez contatos para que o benefício seja liberado. 

No novo golpe, a consulta verifica se há valores a receber e a promessa de sacar instantaneamente via PIX do valor devido pelo banco. Após clicar no link, a vítima é redirecionada para sites falsos que se passam pelo sistema. 

Ao tentar consultar, a vítima deve informar nome completo e CPF. Em ambos os casos, o site sempre irá mostrar um valor a ser recebido, entre mil e quatro mil reais. Para realizar o saque, a vítima precisa informar a chave PIX e compartilhar o golpe com amigos via WhatsApp.

Quando a vítima aceita a notificação, o criminoso consegue acesso a um canal direto e poderá se comunicar constantemente com essas pessoas. Desta forma, o golpista mantém um envio constante de novas mensagens fraudulentas para aumentar a quantidade de vítimas cadastradas.

RESPOSTA DO BC
O Banco Central afirma que não realiza envio de links e nem entra em contato com o cidadão. “Portanto, o cidadão nunca deve clicar em links suspeitos enviados por e-mail, SMS, WhatsApp ou Telegram. O cidadão não deve fazer qualquer tipo de pagamento para ter acesso aos valores. É golpe!”, alertou a entidade.