Logo BP Money
Café com BPM: mercados mundiais operam mistos com dados econômicos
Prejuízo com o Pix? Bancos driblam novidade e têm resultados positivos
Negócios

Netflix (NFLX34) despenca 25% após primeira queda no número de assinantes desde 2011

Com a queda nas ações, a gigante do entretenimento perde cerca de US$ 30 bilhões em valor de mercado

por Redação BP Money

19 de abril de 2022 17:53Atualizado em: 31 de maio de 2022 9:21
Netflix (NFLX34) despenca 25% após primeira queda no número de assinantes desde 2011
Netflix/Divulgação

A Netflix (BDR: NFLX34) operava em queda de aproximadamente 25%, a US$ 267, no after market da Nasdaq, nesta terça-feira (19). A resposta negativa do mercado ocorreu após a companhia comunicar a perda de 200 mil assinantes no primeiro trimestre de 2022. É a primeira vez que a Netflix divulga uma queda no número de assinantes desde outubro de 2011. De acordo com informações da "Reuters", com a queda nas ações, a empresa perdeu cerca de US$ 30 bilhões em valor de mercado. Vale destacar que, durante o pregão desta terça na Nasdaq, a Netflix fechou em alta de 3,18%, com papéis cotados a US$ 348,61.

A Netflix ainda informou que deve perder mais assinantes nos próximos meses. Mais de 1 milhão de assinantes podem ser perdidos pela gigante do entretenimento, devido a guerra da Ucrânia. Isso porque a companhia norte-americana decidiu encerrar as atividades na Rússia.

No primeiro trimestre de 2022, as receitas da Netflix tiveram alta de 10%, para US$ 7,89 bilhões. As projeções do mercado eram de uma receita de US$ 7,93 bilhões.

Veja também: Fusão da brMalls (BRML3) deve beneficiar mais a Aliansce, segundo analistas

"O grande número de lares dividindo contas, combinado com a competição, criou um vento contrário para as receitas", informou a Netflix em comunicado.

A companhia de tecnologia também atribuiu a queda de assinantes ao compartilhamento de contas. A empresa vê este fenômeno como um agravante para os resultados. O mercado esperava que a Netflix divulgasse um crescimento lento, em meio à concorrência com as grandes rivais do streaming: Amazon.com (AMZN.O),  Walt Disney, Warner Bros Discovery e a Apple.Inc (AAPL.O). Os números, entretanto, foram piores do que os projetados pelo mercado.

Recentemente, a Netflix aumentou os preços das assinaturas nos Estados Unidos, Reino Unido e Irlanda, com o intuito de financiar a produção de conteúdo e o crescimento em outros mercados, como a Ásia. 

A Netflix conta, atualmente, com um total de 221,6 milhões de assinantes. A companhia informou que irá acelerar o seu crescimento melhorando a qualidade de sua programação no streaming.