Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir
Logo BP Money
Imposto de Renda: Receita Federal libera consulta da restituição
Drake perde mais de R$ 1 milhão após apostar em piloto da Ferrari na Fórmula 1
Paola Carosella: restaurante de chef é atacado nas redes após polêmica
Negócios

Banco Inter (BIDI11): acionistas aprovam migração a Nasdaq

Na AGE, mais de 85% dos presentes aprovaram o projeto que permite a listagem na bolsa americana

por Redação BP Money

13 de maio de 2022 9:25Atualizado em: 13 de maio de 2022 10:14
Banco Inter (BIDI11): acionistas aprovam migração a Nasdaq

Os acionistas do Banco Inter (BIDI11) aprovaram, nesta quinta-feira (12), a proposta que resultará na migração das ações do banco digital para a Nasdaq. Na AGE (Assembleia Geral Extraordinária), mais de 85% dos presentes deram o aval ao projeto de reorganização societária, que permite a listagem na bolsa americana. 

Com a aprovação, 100% das ações do Inter serão listadas na Nasdaq, mas com BDRs (recibos de ações) sendo negociados na B3, bolsa de valores brasileira. 

“A migração para a Nasdaq vai fortalecer nosso posicionamento como empresa de tecnologia global, além de nos dar acesso ao mercado de capitais mais maduro do mundo e abrir fontes de receitas à medida que a empresa continua seu sólido ritmo de crescimento”, diz o CEO do Inter, João Vitor Menin, segundo o Valor Econômico. 

Acionistas do Inter terão uma semana para trocar ações por BDRs

Os acionistas terão até o próximo dia 20 de maio para escolher entre trocar as ações atuais por BDRs listados na B3, que serão lastreados em ações de Classe A da holding Inter&Co listadas na Nasdaq, ou receber o valor das ações em dinheiro, chamada de opção “cash out".

No entanto, o "cash out" terá um limite total de R$ 1,131 bilhão, que equivale a 10% das ações em circulação, processo conhecido como "free float". Caso a demanda exceda o estipulado, será realizado um rateio proporcional entre aqueles que escolherem a opção.

Caso isso ocorra, os acionistas receberão uma parte em dinheiro e outra em BDRs. De acordo com Alexandre Riccio de Oliveira, diretor vice-presidente de tecnologia, operações e finanças, "a tendência é que ocorra o rateio". 

Para definir o valor de troca das ações, o Inter estabeleceu, com base na média ponderada dos últimos 30 dias de negociação antes do anúncio, o equivalente a R$ 19,35 por unit (composto por uma ação ordinária e duas preferenciais).

Com isso, o processo funcionará da seguinte forma: para cada duas units, o acionista recebe uma ação PN resgatável, ou seja, R$ 38,70. O cash out ficará disponível para quem tinha posições em custódia até 15 de abril de 2022.

Caso algum acionista não se manifeste nesse período, o mesmo receberá BDRs automaticamente. Será possível cancelar os BDRs e transformá-los em ações Classe A listadas diretamente na Nasdaq, mas só após o recebimento.

Estudos para migração do Inter se iniciaram em 2021

Em agosto do ano passado, o banco digital brasileiro comprou a plataforma de transferência de valores americana Usend, como parte de um esforço de internacionalização.

Caso a operação tivesse sido realizada no início deste ano, os valores desembolsados teriam sido maiores. O cash out previsto alcançava R$ 2 bilhões, quase o dobro do atual e a remuneração por unit sairia a R$ 45,84 ante R$ 19,35 atuais.

Vale salientar que a proposta mais recente embute prêmio de 35,8% ante o fechamento de ontem, aos R$ 14,27. A unit se valorizou 6,73% no pregão desta quinta, após a aprovação do plano. 

No ano, contando até 11 de maio, os papéis do Inter registram uma queda de 49,95%, atingidos pela onda de aversão às ações de tecnologia globalmente. Em um ano, o recuo das units atinge 77,13%.

Leia também: Banco Inter (BIDI11) vai aos EUA para ser banco do imigrante; legislação deve ser desafio

Ainda de acordo com o vice-presidente do  Banco Inter, o acionista pagar apenas os BDRs foi a melhor opção. "Acreditamos no negócio e na valorização futura do ativo".