Privacidade e cookies: Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiencia como utilizados.Ao continuar a usar este site, você concorda com seu uso. Visite nossa Política de Cookies para saber mais.
Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir

Empresas

Cade pode repensar operação da Marfrig na BRF

Redação BP Moneyem 13 de outubro de 2021 16:30
  • Lenise Prado, conselheira do órgão, requisitou informações mais consistentes e análise mais precisa sobre o caso;
  • Ela alega ter dúvidas se operação não prejudica o consumidor;
  • Prado também solicitou a observação do impacto em mercados de varejo, atacado e restaurantes;
  • O pedido precisa passar ainda pelo crivo do conselho na próxima sessão de julgamento.

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) parece repensar a aprovação da aquisição de parte relevante da BRF pela Marfrig. Segundo a Veja, a conselheira da autarquia, Lenise Rodrigues Prado, requisitou à Superintendência Geral informações mais consistentes e análise mais precisa sobre o caso, alegando ter dúvidas se operação não prejudica o consumidor.

Prado também solicitou a observação do impacto em mercados de varejo, atacado e restaurantes. Ela ressalta que não foram analisadas quesitos como a influência do acionista majoritário na BRF, “em especial um acionista que atua no mesmo setor, e que já foi concorrente ainda mais próximo quando atuava com a marca “Seara”. 

Mais um fator abordado pela conselheira é a falta de um estudo, por parte da superintendência, acerca da lógica de conglomerado e poder de portfólio que a BRF terá tendo a Marfrig como principal acionista. “A atuação coordenada das requerentes em diversos segmentos tenderia a impactar significativamente a dinâmica concorrencial e ter efeitos tanto para fornecedores como para os consumidores”.

Com isso, Prado pediu que a operação seja melhor analisada, para que só assim o conselho possa tomar uma decisão. Entretanto, a requisição precisa passar ainda pelo crivo do conselho na próxima sessão de julgamento.

Relacionadas