Logo BP Money
Café com BPM: mercados mundiais operam mistos com dados econômicos
Prejuízo com o Pix? Bancos driblam novidade e têm resultados positivos
Negócios

Aliansce Sonae (ALSO3) faz terceira oferta de fusão com BR Malls (BRML3)

Os termos serão avaliados pela BR Malls em reunião do Conselho de Administração

Fabio Santiago

por Fabio Santiago

19 de abril de 2022 8:49Atualizado em: 31 de maio de 2022 11:26
Aliansce Sonae (ALSO3) faz terceira oferta de fusão com BR Malls (BRML3)
Divulgação/Aliansce Sonae

A operadora de shoppings centers, Aliansce Sonae (ALSO3), informou, na última segunda-feira (18) que apresentou ao Conselho de Administração da BR Malls Participacoes SA (SA: BRML3) a terceira proposta de fusão de negócios com a empresa.

Em nova proposta, a Aliansce Sonae apresentou uma relação de troca mais favorável aos acionistas da BR Malls. O pagamento em dinheiro estipulado é de R$ 1,25 bilhão, e a relação é de substituição de 1 ação de emissão da empresa para 0,3940 ação de emissão da Aliansce.

O anúncio dá continuidade aos Fatos Relevantes divulgados pela companhia em 14 de janeiro, e posteriormente em 14 de março deste ano. É a terceira investida da companhia.

A proposta feita em março apresentou o pagamento em dinheiro no valor de R$ 1,850 bilhão, e uma relação de substituição de 1 ação de emissão da brMalls para 0,33414420 ação de emissão de Aliansce Sonae.

Logo, considerando o último fechamento de ações da Aliansce Sonae, na última segunda-feira (18), que foi de R$ 21,20 por ação, a parcela em ações da nova proposta da companhia teria o valor de R$ 6,91 bilhões, totalizando R$ 8,2 bilhões na proposta final realizada.

O Conselho de Administração da BR Malls sinalizou à interessada que fará uma reunião na AGE (Assembleia Geral Extraordinária) nesta terça-feira (19), para avaliar os termos da nova proposta de fusão, e consultar e verificar a sustentabilidade do negócio com os acionistas de sua companhia.

Nova proposta da Aliansce Sonae responde a ida da BR Malls ao Cade

No último dia 31 de março, a BR Malls apresentou ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), um pedido de bloqueio dos poderes políticos que a Aliansce detém sobre 10,8% de seu capital, até que o órgão avaliasse a transação requerida pela Aliansce.

Isto aconteceu após a Aliansce Sonae, juntamente à corporação canadende CPPIB (Canada Pension Plan Investment Board), se tornar a maior acionista da Br Malls e reforçar a pretensão de exercer ativismo societário, além do desejo de alterar a composição de seu conselho de administração, ou até mesmo a chapa inteira.