Privacidade e cookies: Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiencia como utilizados.Ao continuar a usar este site, você concorda com seu uso. Visite nossa Política de Cookies para saber mais.
Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir

Bolsa

Resumo Semanal: Ibovespa recua 0,79% após notícia de nova cepa da Covid-19

Mariana Puonzo e Leonardo Almeida em 26 de novembro de 2021 19:58
  • Ibovespa acumulava resultados positivos, mas foram revertidos após repercussão da nova variante da Covid-19;
  • Dólar encerra semana cotado a R$ 5,59.

O Ibovespa acumulou queda de 0,79% ao longo desta semana, o índice vinha somando resultados positivos, mas desabou após o pregão desta sexta-feira (26). O período foi marcado pela divulgação da prévia da inflação, o IPCA-15, que veio em linha com as estimativas, o adiamento da PEC dos Precatórios para a próxima terça-feira (30), além da repercussão da descoberta de uma nova variante da Covid-19. O dólar acumulou queda de 0,25% na semana.

Segunda

O Ibovespa encerrou em queda no pregão da segunda-feira (22), beirando os 102 mil pontos na sua pior pontuação do ano. A grande notícia do dia foi a permanência do presidente do Banco Central dos Estados Unidos (Fed), Jerome Powell, causando a alta dos juros futuros. As fintechs estiveram entre as maiores quedas do índice, por conta de uma possível regulação destas companhias pelo Banco Central.

No Boletim Focus, os especialistas ouvidos pelo BC elevaram suas projeções para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) mais uma vez, esperando agora que o medidor alcance dois dígitos neste ano. Os analistas esperam agora que a inflação avance 10,12% em 2021, ante a previsão anterior de 9,77%. A expectativa de avanço do Produto Interno Bruto (PIB) recuou novamente, de 4,88% para 4,80%.

Na Europa, o cenário continuava caótico em meio a temores sobre novos lockdowns no continente. A chanceler alemã Angela Merkel sinalizou que medidas mais restritivas devem ser adotadas pela Alemanha, o que provocou uma inversão no comportamento das Bolsas. O principal índice europeu, Stoxx 600, encerrou a sessão em queda de 0,13%.

O índice recuou 0,89%, aos 112.122 pontos, com volume negociado de R$ 26 bilhões. O dólar recuou 0,27% cotada a R$ 5,593 na compra e R$ 5,594 na venda.

Terça 

Em sessão de forte volatilidade, o Ibovespa saltou no pregão da terça-feira (23), revertendo a queda na sessão anterior. O índice se beneficiou da alta nos commodities, o que impulsionou as ações de gigantes como a Vale e a Petrobras. Liderando os ganhos do benchmark, os papéis da Braskem dispararam após a Petrobras negar a venda de sua participação na empresa. 

Os preços do barril de petróleo encerraram em avanço e o brent disparou 3,64% a US$ 82,52, enquanto o WTI saltou 2,61% a US$ 78,75. Os papéis preferenciais e ordinários da Petrobras estiveram entre os maiores ganhos do Ibovespa, com altas de 5,58% e 4,74%; já as ações da PetroRio acompanharam a valorização da commodity e cresceram 5,20%; enquanto a Ultrapar registrou ganhos de 4,46%.

Nos Estados Unidos, o mercado ainda digeria a permanência de Jerome Powell na presidência do Banco Central norte-americano (Fed).

O Ibovespa fechou com alta de 1,50%, aos 103.653 pontos, com volume negociado de R$ 30,6 bilhões. A moeda norte-americana avançou 0,27% a R$ 5,608 na compra e R$ 5,609 na venda.

Quarta 

O Ibovespa subiu no pregão da quarta-feira (24), ampliando os ganhos da sessão anterior. O mercado brasileiro repercutiu o adiamento da votação da PEC dos Precatórios na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado. Além disso, o minério de ferro seguiu em alta, após retomada das usinas na China, e alavancou o crescimento das ações de siderúrgicas.

No território norte-americano, o índice de inflação, que é referência para o Fed, PCE, avançou 0,6% entre setembro e outubro, acumulando uma alta de 5% nos últimos 12 meses, sendo o maior aumento anual dos últimos 31 anos. As principais altas do mês passado foram registradas em bens duráveis e não duráveis, que mostraram aumentos de 1,2%.

Ainda nos EUA, o número de pedidos de auxílio-desemprego diminuiu de 71 mil para 199 mil, na semana encerrada em 20 de novembro. É o menor nível de pedidos do benefício desde novembro de 1969.

O mercado da maior economia do mundo atentava-se a bateria de indicadores que foram antecipados por conta do feriado do Dia de Ação de Graças.

O Ibovespa avançou 0,83% na sessão, aos 104.514 pontos. O volume negociado foi de R$ 26,5 bilhões. O dólar caiu 0,25% no pregão a R$ 5,594 na compra e R$ 5,595 na venda.

Quinta

O Ibovespa marcou alta no pregão da quinta-feira (25). O principal índice da B3 repercutiu a divulgação do IPCA-15, conhecido como a prévia da inflação, que veio em linha com o esperado pelos analistas. Liderando os ganhos do benchmark, as ações do Banco Pan dispararam após a aprovação do Cade sobre a incorporação do Mosaico à fintech. Além disso, os investidores seguem atentos aos desdobramentos da PEC dos Precatórios.

O IBGE divulgou a prévia da inflação do mês de novembro, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA). O indicador apresentou avanço de 1,17% no período, sendo a maior alta para o mês desde 2002 e dentro das estimativas de analistas, que projetavam um avanço de 1,1%. No acumulado do ano, a inflação avançou 9,57%, e em 12 meses, 10,73%, maior que os 10,34% dos 12 meses anteriores.

A Câmara dos Deputados aprovou o texto-base da Medida Provisória (MP) que cria o Auxílio Brasil, programa social de transferência de renda que substitui o Bolsa Família. As alterações no texto sugerem a ampliação do número de famílias beneficentes e, com isso, deve pressionar a verba do novo benefício já em 2022.

Nos Estados Unidos, o mercado permaneceu fechado por conta do feriado do Dia de Ação de Graças.

O Ibovespa avançou 1,24% na sessão, aos 105.811. O volume negociado foi de R$ 21 bilhões. O dólar recuou 0,53% a R$ 5,565 na compra e na venda.

Sexta

O Ibovespa despencou 3,39% no pregão desta sexta-feira (26). O mercado, no geral, repercute o surgimento de uma nova variante da Covid-19 no exterior. As ações mais prejudicadas pela repercussão da nova cepa foram as de aviação e turismo. A cotação do barril de petróleo desabou, puxando as distribuidoras, como a Petrobras e Petrorio, para o vermelho.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) está monitorando uma nova variante da Covid-19, identificada na África do Sul. A OMS diz que sabe pouco sobre a variante, mas informou que ela possui um grande número de mutações, podendo reduzir o efeito de vacinas já existentes.

O setor de Aviação e Turismo liderou as quedas do Ibovespa, o segmento teme por uma nova política de lockdowns e fechamento das fronteiras, o que impactaria diretamente nas receitas das empresas do setor.

Nos Estados Unidos, as bolsas encerram mais cedo por conta da Black Friday, sofrendo menos com a repercussão da nova cepa. O Dow Jones recuou 2,53%, o S&P 500 caiu 2,09% e o Nasdaq fechou em baixa de 2,23%.

O Ibovespa recuou 3,39% aos 102.224, o volume negociado foi de R$ 26,9 bilhões. O dólar avançou 0,55% a R$ 5,595 na compra e R$ 5,596 na venda.

Relacionadas