Privacidade e cookies: Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiencia como utilizados.Ao continuar a usar este site, você concorda com seu uso. Visite nossa Política de Cookies para saber mais.
Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir

Bolsa

Resumo Semanal: Ibovespa avança 4,09% com inflação no radar

Mariana Puonzo e Leonardo Almeida em 14 de janeiro de 2022 20:47

    O Ibovespa encerrou a semana acumulando alta de 4,09%, o melhor desempenho semanal desde março do ano passado. Os investidores repercutiram os dados inflacionários do Brasil e dos Estados Unidos, além de ficarem atentos às falas dos representantes do Federal Reserve (Fed) sobre a política monetária norte-americana. O índice se beneficiou principalmente do ciclo de alta do petróleo, o qual alavancou a valorização das ações da Petrobras, as quais dispararam 12,36% no período. O dólar acumulou recuo de 2,1%.

    Segunda

    Seguindo o desempenho negativo das bolsas internacionais, o Ibovespa encerrou em queda na sessão da segunda-feira (10), refletindo a preocupação do mercado com a expectativa de alta de juros nos Estados Unidos nos próximos meses. Além disso, investidores aguardavam novas indicações sobre a política monetária mundial e as estimativas da saúde das contas públicas nacionais.

    No cenário interno, a fala do presidente Jair Bolsonaro de que não estariam garantidos reajustes a nenhuma categoria de servidores levou certo alívio para o ambiente fiscal nacional.

    Em Wall Street, as bolsas amenizaram as perdas após passarem parte do dia em forte baixa, porém mantiveram a desvalorização. O Dow Jones caiu 0,45%, a 36.067 pontos e o S&P 500 perdeu 0,14%, a 4.670 pontos. Já a Nasdaq, que chegou a recuar mais de 2%, reverteu a queda e fechou com leve avanço de 0,05%, a 14.942 pontos.

    Na Europa, o movimento de retração foi semelhante ao da grande potência.

    O Ibovespa encerrou em baixa de 0,75%, aos 101.945 pontos, com volume negociado de R$ 22,7 bilhões, abaixo da média. O dólar comercial fechou em alta de 0,76%, a R$ 5,67.

    Terça

    O Ibovespa encerrou com alta de 1,80% na sessão da terça-feira (11), retomando os 103 mil pontos. O mercado repercutiu a chegada dos dados inflacionários de 2021, que veio acima do esperado, e a carta do Banco Central ao Ministério da Economia, apontando a continuidade do ciclo de alta da Selic em 2022. Além disso, os investidores acompanharam as falas do presidente do Federal Reserve dos Estados Unidos, Jerome Powell, sobre o combate à inflação no país.

    O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou variação de 10,06% em 2021, de acordo com dados do IBGE, ante projeção de acúmulo de 9,96% no ano passado. A alta é a maior variação anual desde 2015, quando o indicador somou acréscimo de 10,67%.

    Nos EUA, o presidente do BC (Fed) prometeu combater a inflação em declaração a parlamentares norte-americanos durante audiência de confirmação de renomeação perante o Comitê Bancário do Senado. Powell disse que a rápida recuperação da economia da pandemia de coronavírus está “dando origem a desequilíbrios e gargalos persistentes de oferta e demanda e, portanto, à inflação elevada”.

    O principal índice da B3 encerrou a sessão com alta de 1,80%, aos 103.778 pontos. O volume negociado somou R$ 26,7 bilhões. O dólar recuou 1,67%, a R$ 5,58.

    Quarta

    O Ibovespa encerrou com alta de 1,84% na sessão desta quarta-feira (12), renovando a pontuação máxima de 2022. O índice se beneficiou da disparada do setor de consumo (varejo e shoppings) e das commodities, que impulsionou a valorização de gigantes como a Petrobras.

    Além disso, os investidores repercutiram os dados inflacionários dos Estados Unidos, que alavancaram as bolsas no exterior.

    Na maior economia do mundo, o índice de preços ao consumidor (CPI) avançou 7%, vindo em linha com o esperado pelo Banco Central do país (Fed). Com isso, a entidade deve manter o cronograma sinalizado até agora para retirada de estímulos, como o encerramento de compra de títulos públicos e, principalmente, a alta de juros.

    Na Europa, a produção industrial subiu 2,3% em novembro, recuperando-se da queda de 1,3% em outubro, segundo dados com ajustes sazonais publicados pela agência oficial de estatísticas da União Europeia (Eurostat).

    O Ibovespa avançou 1,84% na sessão, aos 105.985 pontos. O volume negociado somou R$ 41 bilhões. O dólar recuou 0,81%, a R$ 5,53.

    Quinta

    Em sessão de forte volatilidade, o Ibovespa encerrou a sessão em queda de na quinta-feira (13), com o exterior no radar. O índice chegou a ser puxado pelo avanço das ações da Petrobras e dos setores de frigoríficos e financeiro, porém não foi o suficiente para evitar a queda frente às pressões do exterior após falas da vice-presidente do Banco Central do Estados Unidos, Lael Brainard, sobre a política monetária do país.

    Em Brasília, repercutiu um estudo do governo sobre a possibilidade de vetar até R$ 9 bilhões no Orçamento de 2022. O Palácio do Planalto e o Ministério da Economia avaliaram que a medida ajudaria a recompor gastos que estariam subestimados nas contas aprovadas pelo Congresso Nacional. Segundo a fonte, os cálculos feitos pela área técnica mostraram insuficiência de recursos para parte das funções do Orçamento deste ano.

    Apesar do recuo apresentado neste fechamento, o setor bancário foi um dos destaques da sessão, com as ações do Santander e do Itaú figurando entre os maiores ganhos do benchmark.

    Nos EUA, as bolsas encerraram em queda após falas da vice-presidente do BC norte-americano (Fed) sobre o combate à inflação no país. 

    O Ibovespa caiu 0,15% na sessão, aos 105.529 pontos. O volume negociado totalizou R$ 27,4 bilhões. O dólar sofreu desvalorização de 0,10%, a R$ 5,529 na compra e R$ 5,530 na venda.

    Sexta

    O Ibovespa registrou alta de 1,33% no fechamento desta sexta-feira (14). O índice se beneficiou novamente com a alta do setor financeiro e com a divulgação de dados do varejo. Além disso, o benchmark aproveita a alta nas commodities,  principalmente do petróleo, o que colaborou para alavancar as ações da Petrobras.

    O setor financeiro foi um dos grandes destaques da sessão, após o mercado repercutir a divulgação do relatório do Goldman Sachs, que elevou a recomendação de diversas ações do segmento.

    O volume de vendas do varejo avançou 0,6% em novembro de 2021, após registrar alta de 0,2% em outubro. O resultado surpreendeu os analistas, os quais estimaram um avanço 0,3% nas vendas do período.

    Nos EUA, o índice de confiança do consumidor caiu de 70,6 pontos marcado em dezembro de 2021, para 68,8 pontos em janeiro de 2022. Os economistas esperavam que o índice marcasse 70 pontos.

    O Ibovespa avançou 1,33% aos 106.927 pontos, o volume negociado atingiu R$ 25,8 bilhões. O dólar recuou 0,29%, a R$ 5,512 na compra e R$ 5,513 na venda.
     

    Relacionadas