Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir
Logo BP Money
Uber: motorista ganha mais de R$ 1 milhão após ajudar influencer roubada
Criptomoeda LUNA: conheça empresário que fez investidores perderem US$ 40 bi
Hotel brasileiro é eleito o segundo melhor do mundo em 2022
Mercado

Resumo Semanal: Ibovespa avança 1,88% com salto de ações ‘descontadas'

Dólar acumula recuo de 1,05%

por Mariana Puonzo e Leonardo Almeida

21 de janeiro de 2022 20:46
Resumo Semanal: Ibovespa avança 1,88% com salto de ações ‘descontadas'

O Ibovespa acumulou alta de 1,88% nesta semana, se descolando das bolsas do exterior que permaneceram em terreno negativo. As ações destaques da semana foram os papéis considerados “descontados”, especialmente nos setores de varejo e tecnologia. O mercado acompanhou as notícias de Brasília, com a possível aliança entre Lula e Alckmin para as eleições e a PEC do governo para reduzir os preços dos combustíveis e da energia elétrica. Os investidores também ficaram atentos aos noticiários do exterior, com temores sobre possíveis apertos monetários. O dólar acumulou recuo de 1,05%.

Segunda

Em sessão de baixa liquidez, o Ibovespa encerrou o pregão com queda na segunda-feira (17), com dados sobre a economia brasileira no radar. Os investidores repercutiram a divulgação da prévia do Produto Interno Bruto (PIB), que veio acima do esperado, e o Índice Geral de Preços (IGP-10), o qual causou preocupação ao mercado. Além disso, a atenção seguia voltada aos desdobramentos da venda da Braskem pela Petrobras e Novonor.

Os economistas ouvidos pelo BC para a elaboração do Boletim Focus pioraram suas estimativas para o avanço da inflação neste ano. Eles elevaram a previsão de alta para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 5,03% para 5,09% em 2022. A projeção para a expansão do PIB foi elevada de 0,28% para 0,29%.

Nos Estados Unidos, as bolsas ficaram fechadas por conta do feriado de Martin Luther King, o que colaborou para a baixa liquidez no mercado brasileiro.

Na Europa, o mercado acionário encerrou em terreno positivo, repercutindo o corte de juros na China. O índice pan-europeu Stoxx 600 terminou com ganhos de 0,70%, em 484,51 pontos.O principal índice da B3 fechou com recuo de 0,52%, aos 106.373 pontos. O volume negociado foi de R$ 15 bilhões.

O principal índice da B3 encerrou o pregão com alta de 0,28%, as 106.667 pontos. O volume negociado atingiu R$ 25 bilhões. A moeda norte-americana avançou 0,61%, a R$ 5,560 na compra e na venda.

Terça

O Ibovespa encerrou com ganhos na sessão da terça-feira (18), indo na contramão das bolsas no exterior. O grande destaque do dia ficou para as ações da Petrorio, que aproveitaram o avanço na cotação dos preços do barril de petróleo. O mercado como um todo acompanhou as notícias dos Estados Unidos, com o risco de um aperto monetário no radar e até um considerável risco de guerra. 

As companhias relacionadas a commodities sustentaram a alta do benchmark brasileiro, mesmo com os temores fiscais no exterior. A Petrorio liderou as altas do principal índice da B3 após ver a cotação do barril de petróleo Brent atingir US$ 88, seu maior valor de 2014. Além disso, as empresas mineradoras e siderúrgicas também se destacaram e estiveram entre os maiores avanços.

Os destaques negativos ficaram para as companhias “tech” e para as varejistas. Os investidores voltaram a repercutir um cenário de juros mais altos, com a inflação global dando novos sinais de aquecimento. Ademais, os rendimentos dos treasuries norte-americanos chegaram a alcançar o maior patamar desde janeiro de 2020, diminuindo a atratividade por outros ativos.

Nos EUA, as bolsas encerraram em queda, com temores sobre um possível aperto monetário e o risco de guerra na Ucrânia. Na Europa, as bolsas do Velho Continente fecharam em baixa, com destaque para o recuo dos papéis de tecnologia.

O Ibovespa encerrou o pregão com alta de 0,28%, as 106.667 pontos. O volume negociado atingiu R$ 25 bilhões. A moeda norte-americana avançou 0,61%, a R$ 5,560 na compra e na venda.

Quarta 

O Ibovespa encerrou em alta na sessão da quarta-feira (19), retomando os 108 mil pontos pela primeira vez desde 16 de dezembro de 2021. O índice se beneficiou da alta dos commodities, principalmente do minério de ferro e do petróleo, além do alívio sobre a curva de juros brasileira, o que alavancou os ganhos de ações do setor de varejo e tecnologia.

Ainda sobre os commodities, o minério de ferro nos portos da China, principal parceiro comercial do Brasil no setor, avançou 3,90%. Assim, as ações da mineradora Vale, ativo com maior participação no benchmark brasileiro, subiram mais de 2%.

Nos Estados Unidos, as bolsas encerraram em queda, em meio a sinais de aperto monetário no país. Na Europa, as bolsas fecharam no terreno positivo, com o avanço das commodities e a chegada de balanços do setor de luxo.

O índice avançou 1,26% na sessão, aos 108.013 pontos. O volume negociado atingiu R$ 29 bilhões. A moeda norte-americana desabou 1,70%, a R$ 5,465 na compra e R$ 5,466 na venda.

Quinta

O Ibovespa encerrou a sessão em alta na quinta-feira (20), retomando os 109 mil pontos pela primeira vez desde outubro do ano passado. Os investidores ficaram atentos às notícias de Brasília, com afirmações do presidente, Jair Bolsonaro, sobre um projeto para diminuir os valores dos combustíveis e da eletricidade, além de uma possível aliança entre Lula e Alckmin nas eleições deste ano. O mercado também  acompanhou o alívio das bolsas após temores fiscais.

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou acreditar que o IPCA está perto do pico e, provavelmente, se manterá estável. O economista também alertou que o aumento da inflação de serviços é “motivo para preocupação” e é algo que o BC precisa “olhar de perto”.

Nos Estados Unidos, as bolsas encerraram em queda, após passarem a maior parte da sessão no cenário positivo. Os investidores seguiram a divulgação de dados econômicos.

Na Europa, as bolsas encerraram em terreno positivo.. O Banco Central Europeu (BCE) disse que as restrições impostas pela pandemia ainda pesam na economia e que, como nos EUA, a falta de mão de obra e os gargalos na cadeia de produção preocupam.

O benchmark encerrou com ganhos de 1,01% na sessão, aos 109.101 pontos. O volume negociado atingiu R$ 32 bilhões. Já o dólar recuou 0,90%, a R$ 5,416 na compra e 5,417 na venda.

Sexta

O Ibovespa recuou 0,15% na sessão desta sexta-feira (21). Os investidores acompanharam as divulgações dos balanços corporativos no Brasil e no exterior, que vêm decepcionando o mercado, além de temores sobre o Orçamento de 2022.

Os investidores seguem atentos aos desdobramentos de uma possível PEC do governo federal para reduzir os preços dos combustíveis e da energia elétrica por meio do reajuste no ICMS. O mercado teme que a proposta eleve ainda mais o risco fiscal deste ano.

A sessão foi o último dia de negociação dos ativos LAME3 e LAME4. Os papéis das Lojas Americanas estão previstos para sair de negociação já na próxima segunda-feira (24), por conta do processo de incorporação da companhia com a Americanas S.A (AMER3).

Os investidores agora aguardam pela chegada da semana que vem, que possui agenda agitada com destaque para o IPCA-15, na quarta-feira (26) e dados sobre o mercado de trabalho brasileiro, na quinta-feira (27).

O Ibovespa recuou 0,15% aos 108.941 pontos, o volume negociado atingiu R$ 29,7 bilhões. O dólar teve alta de 0,72%, a R$ 5,455 na compra e na venda.