Logo BP Money
Locaweb (LWSA3) é “top pick” no setor, defende BofA
Criptomoedas: Nigéria é nação mais curiosa sobre assunto
Mercado

Petrobras (PETR4) pagará dividendos bilionários; confira valor por ação

Conselho da petroleira estatal aprovou o pagamento de parte do lucro aos acionistas nesta quarta (28)

por Vinicius Pereira

28 de julho de 2022 15:40Atualizado em: 28 de julho de 2022 16:52
Petrobras (PETR4) pagará dividendos bilionários; confira valor por ação
divulgação

A Petrobras (PETR4) anunciou nesta quinta-feira (28) que irá pagar R$ R$ 6,732003 por ação aos acionistas da companhia em forma de dividendos. 

De acordo com a Petrobras, a primeira parcela, no valor de R$ 3,366002 por ação preferencial e ordinária em circulação, será paga em 31 de agosto de 2022. Já a segunda parcela, no valor de R$ 3,366001 por ação preferencial e ordinária, será paga em 20 de setembro de 2022.

Para quem deseja aproveitar a distribuição, a data de corte é no dia 11 de agosto de 2022 para os detentores de ações de emissão da estatal negociadas na B3 e o record date será dia 15 de agosto de 2022 para os detentores de ADRs negociadas na New York Stock Exchange (NYSE). As ações da Petrobras serão negociadas ex-direitos na B3 e na NYSE a partir de 12 de agosto de 2022.

"O dividendo proposto está alinhado à Política de Remuneração aos Acionistas, que prevê que, em caso
de endividamento bruto inferior a US$ 65 bilhões, a Companhia poderá distribuir aos seus acionistas
60% da diferença entre o fluxo de caixa operacional e as aquisições de ativos imobilizados e intangíveis
(investimentos). Além disso, a Política também prevê a possibilidade de pagamento de dividendos
extraordinários, desde que sua sustentabilidade financeira seja preservada", informou a companhia estatal, em fato relevante.

A União fica com cerca de 37% desse valor. Nesta semana, o Governo Federal havia solicitado às quatro maiores estatais do País - Petrobras, Banco do Brasil, BNDES e Caixa Econômica - mudanças em suas políticas de pagamento de dividendos ao Tesouro. O Governo busca acumular receitas para bancar a PEC (Proposta de Emenda à Constituição), aprovada recentemente pelo Congresso. 

Segundo o secretário especial do Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia, Esteves Colnago, o Governo questionou se as empresas conseguem aumentar o repasse aos acionistas e alterar a periodicidade do pagamento para trimestral.

As receitas provenientes da possível antecipação do pagamento de dividendos não estão contidas na estimativa do Ministério da Economia de que o Governo Central encerre 2022 com superávit fiscal.

Petrobras (PETR4) altera política de preços, mesmo com dividendos

Na quarta-feira (27), a Petrobras aprovou uma diretriz de formação de preços no mercado interno, que reitera a competência da Diretoria Executiva na execução das políticas de preço, buscando preservar e priorizar o resultado econômico da companhia e buscando maximizar sua geração de valor. 

Ainda assim, a aprovação incorporou uma “camada adicional de supervisão” na execução das políticas de preço de combustíveis através dos conselhos de administração e fiscal. 

Procedimentos como periodicidade dos ajustes dos preços dos produtos, percentuais e valores de tais ajustes, e conveniência e oportunidade em relação a decisão dos ajustes dos preços, permanecem sob a competência da Diretoria Executiva. 

“Vale destacar que a referida aprovação não implica em mudança das atuais políticas de preço no mercado interno, alinhadas aos preços internacionais, e tampouco no Estatuto Social da Companhia”, diz o comunicado da Petrobras. De acordo com a companhia, a nova diretriz não implica em mudanças das atuais políticas de preço do mercado interno.