Logo BP Money
Apple (APPL34) e Kim Kardashian lançam nova coleção de fones
Locaweb (LWSA3) é “top pick” no setor, defende BofA
Mercado

Luciana Seabra anuncia saída da Spiti e "estrutura novos passos"

A analista afirmou que irá estruturar negócio próprio sem sócios majoritários

por Redação BP Money

1 de julho de 2022 16:00Atualizado em: 22 de julho de 2022 14:24
Luciana Seabra anuncia saída da Spiti e "estrutura novos passos"
Reprodução/Spiti

Luciana Seabra, fundadora e presidente da Spiti, anunciou sua saída da casa de análises de investimentos nesta sexta-feira (1). A analista publicou uma carta aberta em sua conta no Instagram para comunicar a decisão.

No comunicado, Seabra afirmou estar deixando o Grupo Primo e, consequentemente, a Spiti, empresa que fundou em 2019 com a XP como sócia majoritária. Em dezembro, a Spiti fechou um acordo com o Grupo Primo, que passou a ocupar esta posição, enqanto a XP passou a ser sócia minoritária do negócio.

Leia mais: Grupo Primo demite 20% dos funcionários dois meses após aquisições

Seabra disse ter batalhado nos últimos três anos para manter sua independência, mas que isso acabou se tornando um grande fardo. “Construi sim, com sua ajuda, uma bela casa, porém no terreno dos outros. Esse foi o meu grande erro”, lamentou.

“Para que eu me sinta alinhada com meus valores, é vital que produtos financeiros não sejam parte do meu enriquecimento pessoal”, afirmou. “E, para que isso aconteça, precisei tomar o passo  que divido com vocês”, disse, em referência à sua saída.

A analista destacou, por diversas vezes, seu desejo de se manter como profissional independente, sem vínculo com o produto que indica. “Onde fica a independência quando você analisa um produto sobre o qual ganha? Por isso, nunca topei qualquer receita vinda de taxa de administração”, esclareceu.

Seabra também disse que seguirá fazendo “análise independente de qualidade sem vínculo com o produto” e que quer ser dona da própria empresa, onde pode ter tranquilidade para exercer seus princípios e filosofias.

Leia também: No novo Stock Pickers, o foco está na evolução do mercado (e não na concorrência)

Quanto ao novo negócio, afirmou que precisará de um tempo para estruturá-lo e, para isso, levará em conta os feedbacks recebidos pelos clientes nos últimos anos. Seabra aproveitou para ressaltar que não aceitará mais um sócio majoritário. “Corretoras e bancos, obrigada por valorizarem o meu trabalho, mas vocês não são sócios possíveis nessa empreitada”, disse.

Em relação à Spiti, afirmou que a casa de análises seguirá. “Aos que construíram a empresa junto comigo e lá estão, todo meu carinho e respeito. Estarei vibrando de orgulho cada vez que observar, de fora, um de vocês dar sequência aos ideais que quero acreditar ter plantado”, concluiu Luciana Seabra.