Privacidade e cookies: Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiencia como utilizados.Ao continuar a usar este site, você concorda com seu uso. Visite nossa Política de Cookies para saber mais.
Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir

Bolsa

Ibovespa tem alta de 1,33% com avanço de bancos e commodities

Redação BP Moneyem 14 de janeiro de 2022 18:19

    O Ibovespa encerrou com ganhos de 1,33% na sessão desta sexta-feira (14), beirando os 107 mil pontos. O índice se beneficiou novamente com a alta do setor financeiro e com a divulgação de dados do varejo. Além disso, o benchmark aproveita a alta nas commodities,  principalmente do Petróleo, o que colaborou para alavancar as ações da Petrobras e da Eneva. O exterior encerrou majoritariamente em queda após divulgação de dados nos Estados Unidos.

    O setor financeiro foi um dos grandes destaques da sessão, após o mercado repercutir a divulgação do relatório do Goldman Sachs, que elevou a recomendação de diversas ações do segmento. Apesar da melhora nas posições, a casa alerta que os riscos de crescimento fraco do PIB e inflação alta podem “deteriorar a qualidade dos ativos”, por conta do crescimento dos empréstimos.

    O Índice do Setor Financeiro da B3 (INFC) encerrou com a segunda maior variação positiva da B3, com alta de 1,97%, aos 9.714 pontos.

    Com o avanço da cotação do barril de petróleo, as ações das empresas de commodities do setor foram também um dos grandes destaques do pregão. Os papéis da Petrobras (PETR3 e PETR4), segunda companhia com maior participação na carteira do Ibovespa, subiram, pelo menos, mais de 2,50%. 

    O volume de vendas do varejo avançou 0,6% em novembro de 2021, na série com ajuste sazonal, após registrar alta de 0,2% em outubro, de acordo com divulgação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado surpreendeu os analistas, os quais estimaram um avanço 0,3% nas vendas do período.

    A produção da indústria nacional registrou queda de 0,2% em novembro do ano passado, sendo que oito dos 15 locais investigados apresentaram taxas negativas, segundo o IBGE. As maiores quedas foram em Amazonas (-3,5%), Rio de Janeiro (-2,2%), e Ceará (-2,5%).

    Nos EUA, o índice de confiança do consumidor caiu de 70,6 pontos marcado em dezembro de 2021, para 68,8 pontos em janeiro de 2022, de acordo com a Universidade de Michigan. Os dados vieram abaixo das expectativas de economistas que esperavam que o índice marcasse 70 pontos no primeiro mês deste ano.

    O presidente do Federal Reserve (Fed) de Nova York, John Williams, afirmou que a desaceleração no crescimento da economia e problemas na oferta devem ser gradualmente resolvidos, assim a inflação irá desacelerar para aproximadamente 2,5% neste ano.

    Na Europa, a Zona do Euro registrou o primeiro déficit comercial desde 2014, de acordo com a agência de estatísticas da União Europeia (Eurostat). O saldo comercial ficou negativo em 1,5 bilhão de euros em novembro de 2021. O resultado foi contra a expectativa  de economistas, que projetavam superávit. 

    As principais bolsas europeias concluíram o último pregão da semana em queda, após a divulgação de dados nos EUA. O índice pan-europeu STOXX 600 terminou a  sessão em queda de 1,01%, aos 481,16 pontos, marcando sua pior semana desde o final de novembro.

    Na Ásia, em contramão com a Europa, a China  apresentou um superávit comercial recorde no mês de dezembro de 2021, chegando a US$ 94,46 bilhões, o maior desde que a série histórica foi iniciada em agosto de 1994.

    Ainda sobre a gigante asiática, o governo chinês vai liberar petróleo de seus estoques estratégicos nacionais durante seu feriado do Ano Novo Lunar, que tem início em 1º de fevereiro.

    O movimento faz parte do plano coordenado pelos Estados Unidos, junto a outros grandes consumidores para diminuir os preços globais, segundo fontes.  

    Ibovespa
    O principal índice da B3 encerrou a sessão com alta de 1,33%, aos 106.927 pontos. O volume negociado atingiu R$ 25,8 bilhões.

    5 maiores altas do Ibovespa
    BIDI11 [+7,15%]
    BPAN4 [+6,65%]
    WEGE3 [+6,24%]
    BRML3 [+6,22%]
    B3SA3 [+5,78%]

    5 maiores quedas do Ibovespa
    LWSA3 [-4,34%]
    ALPA4 [-4,10%]
    POSI3 [-3,87%]
    LREN3 [-3,47%]
    VBBR3 [-2,14%]

    IFIX
    O Índice de Fundos Imobiliários da B3 encerrou com alta de 0,66% no pregão, aos 2.782 pontos.

    5 maiores altas do IFIX
    RCRB11 [+5,66%]
    BCFF11 [+5,23%]
    RZAK11 [+3,15%]
    AIEC11 [+3,12%]
    BCIA11 [+2,23%]

    5 maiores quedas do IFIX
    HSLG11 [-2,39%]
    FIGS11 [-1,05%]
    VIFI11 [-0,78%]
    KFOF11 [-0,71%]
    KNSC11 [-0,61%]

    Dólar
    A moeda norte-americana recuou 0,29% no pregão, a R$ 5,512 na compra e R$ 5,513 na venda.

    Índice pela tarde

    Às 16h55 (horário de Brasília) o índice subia 1,27%, aos 106.870 pontos. O dólar registrava alta de 0,29%, a R$ 5,51.

    Às 15h02 (horário de Brasília) o principal benchmark da bolsa avançava 0,58%, aos 106.165 pontos. O dólar mantinha valorização de 0,21%, a R$ 5,54.

    Índice ao meio-dia

    Às 12h15 (horário de Brasília) o Ibovespa disparava com uma alta de 0,60%, aos 106.165 pontos. O dólar operava com alta de 0,21%, a R$ 5,53.

    O período matutino na bolsa de valores foi marcada de oscilações entre perdas e ganhos, com investidores reagindo ora a retirada de estímulos monetários por parte do Federal Reserve (Fed, banco central norta-americano), que retorna a pressionar os principais índices acionários em Nova York e na Europa; ora aos dados surpreendentes de varejo divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (14). 

    Embora dados positivos do volume de vendas do comércio varejista brasileiro tenham avançado 0,6% em novembro de 2021, resultando em números acima do teto das expectativas, o Ibovespa não consegue escapar do cenário global e bolsas externas que operam em queda consistente no início do pregão desta sexta.

    Para além disso, no exterior houve a divulgação das vendas no varejo dos Estados Unidos, que caíram 1,9% em dezembros, com os norte-americanos lidando com o salto no número de infecções pela Covid-19 e a escassez de bens. Contudo, o dado negativo não deve alterar as expectativas de que houve um crescimento econômico acelerado no quarto trimestre de 2021.

    As ações ordinárias da Minerva lideravam com melhor desempenho, com avanço de 3,17%, a R$ 10,42.

    O pior desempenho neste mesmo horário se dava para os papéis ordinários da Rede D'Or, que registrava um recuo de 3,41%, a R$ 39,99. 

    No radar corporativo nacional, o destaque do noticiário corporativo desta sexta-feira (14) é a aquisição de 67% da Log-In pela MSC em leilão de oferta pública de ações (OPA) realizado na quinta-feira (13). Além disso, a Minerva aprovou o início dos estudos para um potencial processo de redomiciliação.

    O Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (IFIX), negociados na B3, registrava altas de 0.46%, aos 2.778 pontos.

    O ativo que se destacava com melhor desempenho foi o BCFF11, que crescia a uma variação de 4.17%, a R$ 69,73.

    Neste momento, o ativo VIFI11 liderava as baixas, com perda de 0,94%, a R$ 76,5.

    Como foi a abertura do Ibovespa?

    O Ibovespa iniciou a sessão desta sexta-feira (14) positivamente com leve alta de 0,11%, aos 105.704 pontos, por volta das 10h11 (horário de Brasília). O dólar tinha alta de 0,30% e era negociado a R$ 5,54 .

    O principal indicador da bolsa brasileira abriu em ritmo otimista, com investidores atentos aos dados nacionais e internacionais agendados para serem divulgados nesta manhã.

    Confira a abertura do Ibovespa na íntegra aqui.

     

    Pré-abertura da Bolsa

    Na sessão desta sexta-feira (14), os principais mercados internacionais operam sem sentido definido, com os índices futuros norte-americanos registrando leves altas, após o recuo da véspera, e as bolsas europeias e asiáticas ficando em território negativo, também afetadas pelas falas de autoridades estadunidenses.

    Além disso, investidores se atentam à temporada de resultados trimestrais com os dados do Citigroup, JP Morgan e Wells Fargo, à medida que a agenda econômica dos Estados Unidos traz os números do varejo e da indústria. Já por aqui, o destaque também está para os dados do varejo que serão divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    Confira a pré-abertura do mercado aqui.

    Relacionadas