Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir
Logo BP Money
Carro mais caro do mundo é vendido pela Mercedes por R$ 700 milhões
Bovespa Mais: conheça este tipo de acesso a Bolsa de Valores brasileira
Bill Gates volta a explicar porque não investe em criptomoeda
Mercado

Ibovespa sobe mais de 1% e cola nos 107 mil pontos

O dólar mantém valorização a R$ 5,51

por Redação BP Money

14 de janeiro de 2022 16:55
Ibovespa sobe mais de 1% e cola nos 107 mil pontos

Às 16h55 (horário de Brasília) o índice subia 1,27%, aos 106.870 pontos. O dólar registrava alta de 0,29%, a R$ 5,51.

Às 15h02 (horário de Brasília) o principal benchmark da bolsa avançava 0,58%, aos 106.165 pontos. O dólar mantinha valorização de 0,21%, a R$ 5,54.

Índice ao meio-dia

Às 12h15 (horário de Brasília) o Ibovespa disparava com uma alta de 0,60%, aos 106.165 pontos. O dólar operava com alta de 0,21%, a R$ 5,53.

O período matutino na bolsa de valores foi marcada de oscilações entre perdas e ganhos, com investidores reagindo ora a retirada de estímulos monetários por parte do Federal Reserve (Fed, banco central norta-americano), que retorna a pressionar os principais índices acionários em Nova York e na Europa; ora aos dados surpreendentes de varejo divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (14). 

Embora dados positivos do volume de vendas do comércio varejista brasileiro tenham avançado 0,6% em novembro de 2021, resultando em números acima do teto das expectativas, o Ibovespa não consegue escapar do cenário global e bolsas externas que operam em queda consistente no início do pregão desta sexta.

Para além disso, no exterior houve a divulgação das vendas no varejo dos Estados Unidos, que caíram 1,9% em dezembros, com os norte-americanos lidando com o salto no número de infecções pela Covid-19 e a escassez de bens. Contudo, o dado negativo não deve alterar as expectativas de que houve um crescimento econômico acelerado no quarto trimestre de 2021.

As ações ordinárias da Minerva lideravam com melhor desempenho, com avanço de 3,17%, a R$ 10,42.

O pior desempenho neste mesmo horário se dava para os papéis ordinários da Rede D'Or, que registrava um recuo de 3,41%, a R$ 39,99. 

No radar corporativo nacional, o destaque do noticiário corporativo desta sexta-feira (14) é a aquisição de 67% da Log-In pela MSC em leilão de oferta pública de ações (OPA) realizado na quinta-feira (13). Além disso, a Minerva aprovou o início dos estudos para um potencial processo de redomiciliação.

O Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (IFIX), negociados na B3, registrava altas de 0.46%, aos 2.778 pontos.

O ativo que se destacava com melhor desempenho foi o BCFF11, que crescia a uma variação de 4.17%, a R$ 69,73.

Neste momento, o ativo VIFI11 liderava as baixas, com perda de 0,94%, a R$ 76,5.

Como foi a abertura do Ibovespa?

O Ibovespa iniciou a sessão desta sexta-feira (14) positivamente com leve alta de 0,11%, aos 105.704 pontos, por volta das 10h11 (horário de Brasília). O dólar tinha alta de 0,30% e era negociado a R$ 5,54 .

O principal indicador da bolsa brasileira abriu em ritmo otimista, com investidores atentos aos dados nacionais e internacionais agendados para serem divulgados nesta manhã.

Confira a abertura do Ibovespa na íntegra aqui.

 

Pré-abertura da Bolsa

Na sessão desta sexta-feira (14), os principais mercados internacionais operam sem sentido definido, com os índices futuros norte-americanos registrando leves altas, após o recuo da véspera, e as bolsas europeias e asiáticas ficando em território negativo, também afetadas pelas falas de autoridades estadunidenses.

Além disso, investidores se atentam à temporada de resultados trimestrais com os dados do Citigroup, JP Morgan e Wells Fargo, à medida que a agenda econômica dos Estados Unidos traz os números do varejo e da indústria. Já por aqui, o destaque também está para os dados do varejo que serão divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Confira a pré-abertura do mercado aqui.