Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir
Logo BP Money
Uber: motorista ganha mais de R$ 1 milhão após ajudar influencer roubada
Criptomoeda LUNA: conheça empresário que fez investidores perderem US$ 40 bi
Hotel brasileiro é eleito o segundo melhor do mundo em 2022
Mercado

Ibovespa salta 0,98% com avanço da Petrobras e Fomc no radar

Dólar encerra em alta, a R$ 5,44

por Redação BP Money

26 de janeiro de 2022 18:17
Ibovespa salta 0,98% com avanço da Petrobras e Fomc no radar

O Ibovespa encerrou com ganhos de 0,98% na sessão desta quarta-feira (26), ultrapassando o patamar dos 111 mil pontos. Os investidores voltaram suas atenções para as decisões de política monetária dos Estados Unidos sobre a taxa de juros, que vieram dentro do esperado. O principal índice da B3 se beneficiou da alta nas ações da Petrobras, alavancadas pelo avanço da cotação do barril de petróleo, que chegou a bater o maior patamar desde 2014.

As ações Petrobras (PETR3;PETR4)  foram um dos grandes destaques do Ibovespa novamente, avançando mais de 3%. A companhia, que possui grande peso na carteira do índice, se beneficiou mais uma vez do avanço dos preços do barril de petróleo Brent e WTI, sendo que o primeiro chegou a ultrapassar a marca dos US$ 90 pela primeira vez desde 2014, se beneficiando das tensões no leste europeu e no Oriente Médio.

O governo discute internamente se incluirá o ICMS na PEC dos combustíveis, a qual o presidente Jair Bolsonaro (PL) pretende enviar ao Congresso Nacional na volta do recesso parlamentar, em fevereiro. Segundo fontes, a tendência, na noite desta segunda-feira, era incluir o imposto estadual no texto, embora uma decisão ainda não tenha sido tomada.

A prévia da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) desacelerou 0,58% em janeiro, após registrar alta de 0,78% em dezembro. Nos últimos 12 meses o indicador acumula avanço de 10,20%, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

O destaque ficou para o preço-médio dos transportes, que caiu 0,41% devido ao recuo de 1,78% nos preços da gasolina e de 18,21% nas passagens aéreas.

Após a divulgação do IPCA-15, bancos como Itaú elevaram suas estimativas para a inflação deste ano, prevendo agora uma alta de 5.3% ante aos 5,0% previstos anteriormente.Já o Credit Suisse elevou a taxa de 2022 de 6,0% para  6,2%. Analistas explicam que o indicador deve avançar conforme o aumento dos preços dos combustíveis, por conta da alta na cotação do petróleo.

Nos EUA, a principal notícia do dia foi a decisão do Comitê Federal de Mercado Aberto do Federal Reserve (Fomc) em manter a taxa de juros entre zero e 0,25% ao ano, além de indicar que os estímulos à economia devem se encerrar em março deste ano.

De acordo com o Fed, os indicadores de atividade econômica do país avançaram nos últimos meses, porém, com o avanço da Ômicron no mundo, os dados vêm sendo “afetados”. 

As bolsas dos EUA encerraram em queda, após o presidente do Fed, Jerome Powell, afirmar em coletiva que havia “um pouco espaço" para aumentar as taxas antes que isso prejudicasse o mercado de trabalho.

Na Europa, o mercado retomou o processo de recuperação e fechou em alta. O índice pan-europeu STOXX 600 avançou 1,75%, a 467,65 pontos.

Os investidores seguem atentos às tensões no leste europeu. A Rússia advertiu que “medidas de retaliação” serão adotadas se os Estados Unidos e seus aliados rejeitarem as demandas de segurança feitas pelo país em relação à Ucrânia.

O alerta foi resposta às preocupações do Ocidente de que a Rússia esteja planejando uma invasão da Ucrânia após mobilizar mais de 100 mil soldados na fronteira com o país vizinho.

Ibovespa
O principal benchmark da B3 encerrou com ganhos de 0,98%, aos 111.289 pontos. O volume negociado atingiu R$ 30 bilhões.

5 maiores altas do Ibovespa
SOMA3 [+9,11%]
CASH3 [+8,00%]
PETZ3 [+7,33%]
MRVE3 [+4,55%]
CYRE3 [+4,10%]

5 maiores quedas do Ibovespa
BRKM5 [-4,07%]
JBSS3 [-3,04%]
AMER3 [-3,03%]
TIMS3 [-2,00%]
SUZB3 [-1,62%]

IFIX
O Índice de Fundos Imobiliários da B3 (IFIX) recuou 0,70% no pregão, aos 2.772 pontos.

Dólar
A moeda norte-americana avançou 0,11% na sessão , a R$ 5,440 na compra e R$ 5,441 na venda.

Índice pela tarde

Às 15h08 (horário de Brasília) o benchmark avançava 1,68%, aos 112.052 pontos. O dólar recuava 0,30%, a R$ 5,42.

Índice ao meio-dia

Às 12h54 (horário de Brasília) o Ibovespa saltava positivamente em 1,81%, aos 112.198 pontos. O dólar tinha queda de 0,04%, a R$ 5,43.

O índice registrou uma trajetória positiva desde o início da sessão desta quarta. O Ibovespa, junto com o mercado financeiro aguarda decisão de juros do banco central dos Estados Unidos.

Os papéis ordinários da Petz lideravam entre os melhores desempenhos do pregão ao meio-dia, com avanço de 10,49%, a R$ 18,54.

Em contrapartida, as ações ordinárias da Telefônica Brasil registravam pior desempenho, com recuo de 1,63%, a R$ 47,66.

O Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (IFIX), negociado na B3, por sua vez, atingia forte queda de 0,40%, aos 2.781 pontos.

O ativo TEPP11, tinha alta de 1,61%- maior da sessão- sendo cotado a R$ 73,75.

Já o fundo KISU11 tinha pior desempenho, com queda de 2,41%, a R$ 8,3.
Como foi a abertura do Ibovespa?

O Ibovespa inicia a sessão desta quarta-feira (26), com avanço de 0,63%, aos 110.901 pontos. O dólar registrava queda de 0,02%, a R$ 5,43.

O índice apresenta alta antes da decisão da autarquia monetária dos Estados Unidos. Finalmente a quarta-feira (26) marcada pela reunião do Federal Reserve (Fed, banco central norta-americano) aguardada pelo mercado chegou. Agendado para acontecer ao fim da tarde: a expectativa é que o banco central estadunidense dê novas informações sobre o timing do aperto monetário nos próximos meses.

Com isso, o mercado segue no aguardo pelo anúncio da decisão de juros do banco central dos Estados Unidos, os investidores aumentam a demanda por ativos de risco nesta manhã. O mercado consolidou a aposta de que o Fed vai sinalizar o começo da alta de juros para março.
Confira a abertura do Ibovespa na íntegra.

Pré-abertura da Bolsa

Ainda no Brasil, a sessão desta quarta-feira (26) será marcada pela divulgação do IPCA-15 de janeiro, considerado a prévia da inflação, e dados de contas externas em dezembro apresentado pelo Banco Central (BC). Além disso, o Fed segue no radar.

Os índices futuros norte-americanos avançam nesta manhã, com os mercados também aguardando a decisão do Comitê Federal do Mercado Aberto (Fomc), do Fed, sobre a política monetária dos EUA e o início do ciclo de alta dos juros.

Na véspera, o S&P recuou 1,2%, o Dow perdeu 0,2% e o Nasdaq caiu 2,3%. O desempenho negativo ocorre em meio a perspectiva de redução de estímulos fiscais pela entidade, que encerra nesta quarta a reunião de dois dias do Fomc. A decisão deve ser divulgada às 16h (horário de Brasília).

Confira a pré-abertura do mercado aqui.