Logo BP Money
Ações do Nubank (NUBR33) disparam após balanço do 2T22
Ibovespa fecha em alta com balanços e dados econômicos; dólar sobe
Mercado

Ibovespa abre em queda e dólar avança em meio à possível recessão global

Risco de estagflação chama atenção dos acionistas após declarações da OCDE

por Redação BP Money

8 de junho de 2022 10:25Atualizado em: 8 de junho de 2022 10:41
Ibovespa abre em queda e dólar avança em meio à possível recessão global
Amanda Perobelli/Reuters

O Ibovespa opera em queda nesta quarta-feira (8). Por volta das 10h17 (de Brasília), o índice recuava 0,77% a 109.225 mil pontos, em meio ao temor de recessão econômica ao redor do globo. Enquanto isso, o dólar segue a tendência de valorização no início do pregão.

É certo que o sentimento negativo acerca de uma possível recessão na economia mundial já ronda os acionistas há alguns meses, entretanto, as declarações da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) nesta quarta (8) impulsionaram as quedas do Ibovespa.

Segundo as pesquisas da instituição, as projeções para o PIB (Produto Interno Bruto) deste ano, que eram de 4,5%, caíram para 3,0%.

Além disso, foi constatado também que a previsão do índice brasileiro para 2022 teve queda de 1,4% para 0,6%, e de 2,4% para 1,2% para o próximo ano.

Com isso, os investidores se preparam para notícias negativas, principalmente a uma semana de um novo possível aumento da taxa básica de juros por parte do FED (Federal Reserve, banco central norte-americano).

Enquanto o anúncio não acontece, os acionistas dos EUA ficam de olho na divulgação da CPI (Inflação ao Consumidor) do país.

Apesar dos receios, o dólar opera em leve alta na manhã desta quarta (8). Às 10h23 (horário de Brasília), a moeda norte-americana registrava valorização de 0,03%, vendida a R$ 4,871. 

O ambiente doméstico também aguarda a próxima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), que indicará os novos passos da Taxa Selic no Brasil.

Enquanto isso, na Europa, as bolsas reagiram negativamente aos anúncios da OCDE e também abriram em baixa.

Apesar da divulgação positiva do PIB da zona do euro, que registrou aumento de 0,6% no primeiro semestre de 2022, os mercados ainda digerem a projeção desfavorável da organização.

De acordo com a OCDE, a redução nos índices econômicos teve como principal causa a guerra da Rússia contra a Ucrânia.

- DAX (Alemanha), -0,97%
- FTSE 100 (Reino Unido), -0,41%
- CAC 40 (França), -1,14%
- FTSE MIB (Itália), -0,90%

Já na Ásia, os mercados já estão sentindo o relaxamento das medidas restritivas após o governo chinês decretar o fim do lockdown no país.

As autoridades de Pequim confirmaram que nenhum caso de coronavírus foi detectado fora dos locais de quarentena nos últimos quatro dias, o que mostra o progresso das medidas.

Com isso, as ações de tecnologia saltaram na região no último pregão, com destaque para Alibaba (BABA34) e Tencent (0700), que apresentaram aumento de 10,12% e 6,04%, respectivamente.

Em contrapartida, o RBI (Banco de Reserva da índia) anunciou uma alta na taxa básica de juros do país, de 4,4% para 4,9%, à exemplo do realizado pela Austrália na última terça (7).

- Nikkei (Japão), +1,04%
- Kospi (Coreia do Sul), +0,007%
- Hang Seng Index (Hong Kong), +2,24%
- Shanghai SE (China), +0,68%

De volta ao Brasil, o senador Randolfe Rodrigues (Rede) entrou com um pedido de suspensão imediata da privatização da Eletrobras (ELET6).

Já nos novos episódios da Petrobras (PETR4) o Conselho do PPI (Programa de Parcerias para Investimentos) aprovou a inclusão da estatal no estudo de privatizações.

No cenário de dividendos, o Banrisul (BRSR6) aprovou o pagamento de R$ 156,9 milhões em JCP (Juros Sobre Capital Próprio), enquanto a Indústria Romi confirmou o JCP no valor bruto de R$ 14,6 milhões. O Ibovespa agora acompanha os desdobramentos corporativos ao longo do dia.