Logo BP Money
Apple (APPL34) e Kim Kardashian lançam nova coleção de fones
Locaweb (LWSA3) é “top pick” no setor, defende BofA
Mercado

Confira os cinco fundos multimercados com as melhores performances em maio

Especialista explica quais pontos são importantes na hora de escolher um multimercado

por Redação BP Money

16 de junho de 2022 16:00Atualizado em: 15 de junho de 2022 19:14
Confira os cinco fundos multimercados com as melhores performances em maio
Pixabay

Os fundos multimercados são conhecidos por terem critérios mais abertos em relação a alocação de recursos. Ou seja, esses fundos conferem ao gestor uma maior liberdade de decisão frente aos outros. Em fundos de ações, por exemplo, o gestor precisa voltar 67% da carteira para ações, o que não acontece nos fundos multimercados. Em maio, o fundo multimercado Logos Total Return FICFI Mult teve uma rentabilidade de mais de 12% frente a 1,03% do CDI, benchmark (taxa de referência da categoria).

Apesar de não ter que seguir regras muito rígidas (fundos multimercados não precisam seguir uma carta compromisso), os multimercados possuem características próprias. Eles podem contar com ativos de renda fixa, câmbio, ações, derivativos e outros ativos na carteira. Para compor a carteira, o gestor analisa o cenário e monta um portfólio com o melhor do mercado naquela determinada oportunidade.  

“O gestor de fundo multimercado, por ter essa liberdade de escolher qual ativo ele vai escolher, ele pode dizer: 'opa o mercado agora virou, vou diminuir minha quantidade de ações e vou aumentar a parcela que está em fundo de renda fixa'. Claro que o investidor pode fazer isso, mas são poucos os investidores que vão ter a mesma expertise de mercado de um cara que passa o dia todo focado nisso, com toda equipe analisando ativos”, disse Giovanni Puonzo - sócio da SVN Gestão. O BP Money separou os fundos multimercados que apresentaram a melhor performance em maio. Confira abaixo: 

Logos Total Return FICFI Mult    

O fundo Logos Total Return FICFI Mult teve um retorno mensal de 12,10%, em maio, e foi beneficiado pelos ativos ligados ao setor de energia e de materiais. Nos últimos 12 meses, a rentabilidade desse fundo foi negativa, ficando em -43,75%.

Vista Multiestrategia Fc FI Mult    

O fundo Vista Multiestrategia Fc FI Mult, da Vista Capital, administrado pelo BTG Pactual, registrou um retorno mensal de 6,70%. “A nossa tendência em ambientes tão imprevisíveis é pensar de forma ainda mais probabilística, fugindo de certezas e sempre buscando operações com bom risco-retorno ou hedges que nos protejam de forma eficiente de viradas bruscas no cenário”, informou a Vista em comunicado aos clientes.

Veja também: Contabilizei visa expansão nacional e aposta em novas soluções para ganhar vantagem sobre concorrentes

Forpus Multiestrategia FI Mult LP 

O fundo Forpus Multiestrategia FI Mult LP foi o terceiro fundo com maior retorno em maio, com rentabilidade de 4,01%.

Moat Capital Equity Hedge FICFI Mult 

O fundo Moat Capital Equity Hedge FICFI Mult foi o quarto fundo com maior retorno em maio, registrando uma rentabilidade de 3,49%. Nos últimos 12 meses, o fundo teve rentabilidade de 13,56%, de acordo com dados da "Mais Retorno".

Gap Multiportfolio Fc FI Mult    

O fundo Gap Multiportfolio Fc FI Mult teve um retorno de 3,43% em maio. Nos últimos 12 meses, o fundo entregou uma rentabilidade de 20,52%.

O que olhar para escolher um bom fundo multimercado? 

De acordo com Puonzo - sócio da SVN Gestão - os investidores pessoa física costumam, quando pensam em escolher um fundo, olhar muito para a performance, o que, em sua visão, não é o principal a se fazer.

“Acho que quando a gente contrata um fundo, a gente contrata um serviço - claro que a gente olha performance - mas a principal coisa que você precisa ver é a qualidade da equipe. O ponto de partida e a principal análise é a qualidade e a capacidade da equipe, depois a gente vai olhar performance”, explicou Puonzo.

Um dos pontos de atenção, segundo o especialista, é olhar como o fundo performou em momentos de estresse do mercado, como no início da pandemia de covid-19 ou na greve dos caminhoneiros de 2018, por exemplo. 

“Nesse quesito, é importante olhar a performance, mas o ponto de partida é a qualidade da equipe. O investidor precisa saber a quanto tempo a equipe está fazendo isso, quanto tempo a equipe trabalha junto, quais são as especialidades de cada um e por aí vai”, disse o sócio da SVN Gestão.

Apesar de ser importante, Puonzo destaca que não é bom ter apenas multimercados, já que, por mais que eles possam diversificar, nem sempre a estratégia vai dar 100% certo.

“O mais seguro para investir é montar um portfólio diversificado e descorrelacionado dentro do perfil de cada investidor. Não adianta nada eu pegar um montante e colocar só dentro de fundo multimercado. Em 2020, o multimercado, em sua maioria, deu pouco resultado. Você fica muito refém do mercado, porque não tem um portfólio diversificado. Junto a isso, ele precisa ter um portfólio descorrelacionado. O cara tem que ter renda fixa, tem que ter multimercado, tem que ter ações na carteira, dentro da volatilidade que ele aguenta - é claro”, concluiu Puonzo.