Privacidade e cookies: Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiencia como utilizados.Ao continuar a usar este site, você concorda com seu uso. Visite nossa Política de Cookies para saber mais.
Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir

Inovação

'Netflix do investidor': Monett traz streaming para Brasil

Luiza Gonçalvesem 30 de setembro de 2021 12:00
  • A empresa espera bater a meta de 20 mil assinaturas até o final de 2021;
  • O objetivo da plataforma é trazer os conceitos e as novidades do mercado financeiro de forma lúdica e leve;
  • A CEO da Monett, Olivia Alonso, respondeu algumas perguntas sobre a plataforma.

A Monett é uma plataforma de streaming que foi lançada na quarta-feira (29) com um diferencial gigante: todos os programas oferecidos são voltados para investidores e trará a primeira “casa de análise de startups” do Brasil.

Em entrevista à BP Money, Olivia Alonso, a sócia-fundadora e CEO da Monett, destacou que as indicações de investimentos nas empresas de tecnologia serão feitas por um profissional que une a experiência de um analista de investimentos e de empresas, além de ser um investidor de startups.

O objetivo da plataforma é trazer os conceitos e as novidades do mercado financeiro de forma lúdica e leve.

A empresa espera bater a meta de 20 mil assinaturas até o final de 2021.

Confira a entrevista:

Como surgiu a ideia de criar um streaming voltado unicamente para investidores?
A nossa ideia surgiu da constatação de que era uma necessidade das pessoas cuidar dos seus investimentos, de fato melhorar as suas carteiras, colocar o dinheiro para render. Embora o mercado financeiro tivesse muitas soluções de investimentos, muitos produtos, muitos fundos, muitas possibilidades para o investidor colocar isso em prática, ele não colocava de fato.

Nós percebemos que existem pessoas que se interessam por investimentos, às vezes seguindo ‘influencers’ ou vendo alguma coisa no YouTube, mas na prática essas pessoas não estavam indo para a Bolsa, para os bons fundos de investimento e você vê isso comparando números.

Nós temos quase 4 milhões de pessoas na Bolsa, de um país de 200 milhões de pessoas, então há um trabalho muito grande a ser feito e nós percebemos que existe bastante conteúdo e qualidade de análise, mas o formato não estava dando 'match' com o que as pessoas realmente precisavam na correria do dia a dia para investir. Então decidimos fazer o streamer para levar a recomendação de investimos e a educação financeira num formato de vídeo, um formato rápido que as pessoas possam consumir rapidamente, investir dinheiro e acompanhar o resultado de uma forma leve e divertida.

Considerando que o streaming voltado para esse público é inédito no Brasil, qual a projeção de crescimento da empresa, tanto para a captação de clientes quanto para o faturamento?
Nós começamos com a projeção de conseguir 20 mil investidores para este ano e para o ano que vem nós temos o objetivo de chegar a 200 mil assinantes.

Em relação a inédita “casa de análise para startups”, como esse novo produto será estruturado e como a companhia pretende impactar o mercado?
Na análise startups, que é uma inovação que a gente traz, nós teremos um programa semanal de análise de startups que estão em plataformas de crowdfunding, então o analista da Monett irá olhar nas plataformas quais são as startups que estão abertas para a captação de investimento, ele fará uma análise da empresa para identificar quais são as melhores, as que merecem investimento, que tem os menores riscos e os maiores potenciais de retorno. Ele terá uma carteira de recomendação de startups para investir.

Começaremos com um programa que será do Luiz Cesta, um dos sócios da Monett, que é investidor anjo de startups, então ele tem muitos anos de expertise em análises de empresas e de startups.

Esse programa será recorrente, então toda a semana nós teremos novidades e todo mês teremos novas startups entrando no portfólio para as pessoas investirem. São startups que às vezes exigirão um valor inicial de investimento muito baixo, como R$ 1 mil ou R$ 5 mil, ou muito altos. Tem startups que às vezes a captação e o mínimo é R$ 10 mil, R$ 20 mil... então terá para todo tipo de investidor.

Isso não existe em outras casas de análise, como você disse, e acredito que é por ser um mercado muito novo e que foi regulamentado recentemente pela CVM, pelo fato de não existir, ainda no Brasil, a carreira do analista em startups.

Temos o Luiz na nossa equipe, que une as características de ser um analista de investimentos, de empresas e investidor de startups. Ele reúne essas qualificações que tornam ele apto a recomendar e deixa o investidor tranquilo de que tem filtro super profissional selecionando as startups para ele.

Quais pilares estão movendo a Monett e qual a ideia do desenvolvimento dela a longo prazo?
O que nos move é a vontade de fazer com que as pessoas se sintam mais seguras com seus investimentos e com seu dinheiro rendendo acima da inflação. Nós vivemos num país que não é um país de educação financeira e que possui juros que na mesma toada que cai, sobe absurdamente... de certa instabilidade política, e as pessoas precisam se proteger e ter o seu dinheiro, do suor do seu trabalho, rendendo para o futuro, para a aposentadoria.

Então nós queremos trazer a nossa experiência de anos de mercado financeiro, junto a experiência de cinema e de audiovisual que temos no nosso time, além da tecnologia. Unir tudo isso numa plataforma de forma que as pessoas possam ter a solução definitiva para os seus investimentos.

Para os próximos anos, nós temos a mentalidade de melhoria contínua, toda a semana nós iremos estudar o comportamento das pessoas para que elas sejam impactadas com o vídeo mais adequado, para que a vida financeira delas seja facilitada.

Relacionadas