Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir
Logo BP Money
Infleet: logtech baiana capta R$ 2,6 milhões com DOMO e Bossanova liderando
iFood: usuários reclamam de restaurantes falsos que não entregam pedidos
Controle financeiro: 10 melhores aplicativos de finanças pessoais
Negócios

Metaverso: terrenos virtuais movimentam milhões

Um terreno de 566 m² foi vendido por R$ 13,6 milhões, tendo um m² mais caro que Leblon

por Redação BP Money

20 de dezembro de 2021 21:00Atualizado em: 6 de maio de 2022 11:24
Metaverso: terrenos virtuais movimentam milhões

O mundo em uma realidade virtual é algo que tem ganhado cada vez mais espaço nos planos de grandes companhias do mercado, e também de investidores. Os terrenos digitais, são mais avançados do que você pensa, a Descentraland, por exemplo, possui 96 mil parcels de área total, equivalente a 14,2 mil m², cerca de 9,6 vezes maior que a cidade de São Paulo.

Na última semana de novembro, um terreno digital medindo 566m², foi vendido por US$ 2,4 milhões (R$ 13,6 milhões), ou cerca de R$ 23,97 mil por m². O valor supera o m² do Leblon, que segundo a Fipezap está em R$ 21,9 mil, sendo o segundo terreno mais caro do Brasil.

Vale ressaltar que a compra foi feita em “Mana”, a moeda virtual do universo em questão, cuja valorização desde a aquisição já ultrapassou os 50%. A excitação com as possibilidades de um Metaverso começar, enfim, a se tornar realidade, tem criado uma verdadeira bolha imobiliária no mundo virtual.

O comprador da área, a empresa Tokens.com, afirmou que o investimento faz sentido, visto que o terreno está localizado na Fashion Street, uma área destinada a produtores da indústria da moda. A companhia espera realizar desfiles e promover vendas de roupas e outros objetos, feitos em parceria com empresas do mundo real.

Um exemplo da moda no mundo virtual é a marca italiana Gucci. A grife lançou uma versão digital da bolsa Dyonisius, com prazo e unidades limitadas, as vendas se esgotaram rapidamente, dando origem a um mercado secundário. De segunda mão, usuários acabaram pagando US$ 4115 por uma unidade.