Privacidade e cookies: Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiencia como utilizados.Ao continuar a usar este site, você concorda com seu uso. Visite nossa Política de Cookies para saber mais.
Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir

Exclusivas

Head de Marketing fala sobre empreendedorismo da Ambev

Nicolau Eloy em 27 de outubro de 2021 11:00
  • Gabriela de Carvalho é Head de Marketing da Ambev;
  • Para ela, o intraempreendedorismo inspira ainda mais os funcionários;

Head de Marketing da Ambev, Gabriela de Carvalho comentou sobre o intraempreendedorismo que vem sendo realizado em uma das principais companhias do país. Para ela, esse modelo inspira ainda mais os funcionários. “Estamos criando uma nova unidade de negócio, entrando em categorias que nunca atuamos, criando marcas e produtos. Isso faz também com que hoje eu esteja no momento em que mais me sinto inspirada”, contou em entrevista à BP Money.

Confira a entrevista completa:

Gabriela, como foi sua trajetória, desde o início até hoje, sendo Head de Marketing da área? Sofreu dificuldades por ser mulher? Se sim, como enfrentou?
Eu construí quase toda minha carreira na Ambev, comecei no trainee da companhia e hoje atuo como Head de Marketing de Future Beverages. Como toda carreira, vivi bons momentos, mas também passei por grandes desafios, e todos eles foram de intenso aprendizado. E posso te garantir que sigo aprendendo até hoje. Nesses últimos 8 anos eu não só vi, como fiz parte da transformação da companhia para ser uma empresa mais inclusiva, mais diversa. É claro, ainda temos um grande trabalho pela frente, mas como mulher, é muito gratificante ver essa evolução. Hoje eu tenho muitos exemplos de lideranças femininas aqui dentro e no mercado, e espero ainda ser inspiração para muitas outras.

Hoje, grandes empresas oferecem uma possibilidade de o colaborador empreender dentro da empresa, o famoso intraempreendedorismo. Você acredita que viveu/vive isso na AMBEV? Qual a importância que você dá para isso? Qual o impacto que você acredita ter dentro da produtividade?
Eu vivo isso diariamente. A Ambev é uma empresa com um mindset muito empreendedor, desde muito novos na carreira temos a chance de colocar a mão na massa. Acredito que hoje é o momento que mais vivo isso na pele. Estamos criando uma nova unidade de negócio, entrando em categorias que nunca atuamos, criando marcas e produtos. Isso faz também com que hoje eu esteja no momento em que mais me sinto inspirada. Inspirada a criar, provocar, formar o time. Isso com certeza reflete nas entregas.

Você se diz uma amante por marketing e construção de marca e se provou como profissional assim. Quais competências você acredita que esse tipo de profissional precisa ter para chegar onde chegou?
Eu acho que pra ser um profissional de marketing você tem que ser apaixonado pelo que faz. Tem que ser apaixonado por pessoas, apaixonado por marcas. Eu desde pequena tenho fama de ser curiosa, de perguntar o por quê de tudo. Acho que interesse, empatia e o poder de questionar o status quo são características super importantes para qualquer profissional.

Grandes produtos, como a Beats, estão dentro da sua responsabilidade. Pode nos contar um pouco de como foi lançá-los?
Muita gente não sabe, mas Beats existe desde os anos 2000, como uma marca dentro do portfólio de Skol. Quando cheguei na companhia, em 2014, tive a chance de fazer parte do time e participar do lançamento de alguns produtos da família, como Beats Secret e Fire and Frost. Depois, pude trabalhar liderando a marca nos lançamentos de Beats GT, 150 BPM e Zodiac.

Beats é uma marca inovadora e muito gostosa de trabalhar. O consumidor realmente é fã e espera ansiosamente por novos produtos. Por isso, valorizamos lançamentos com uma boa história e que envolvam muita criatividade. Eu adoro participar do processo, que em resumo, inicia com a criação do conceito, seguindo para o desenvolvimento do líquido, testes com consumidor até chegar a campanha e amarração criativa. Olhar para o consumidor em busca de necessidades não atendidas, para desenvolver um novo produto, é um processo muito desafiador.

Muito se comenta sobre a forte cultura dentro da AMBEV. Como você acredita que isso se mantém tão forte até hoje? E como impacta nos resultados dos colaboradores?
No fundo todos nós queremos sentir que fazemos parte de algo maior. Isso com certeza faz com que as pessoas criem um sentimento de donos e donas e tenham um comprometimento acima da média com os resultados da empresa.

Para fechar, afinal, por que trabalhar na AMBEV?
Por que não trabalhar na Ambev? Eu estou na companhia desde o trainee, hoje o meu objetivo é ajudar no desenvolvimento e na criação de projetos incríveis. Para mim tem sido um grande desafio e esse é só o começo. Ainda tenho muito para criar e muito a aprender.

Relacionadas