Privacidade e cookies: Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiencia como utilizados.Ao continuar a usar este site, você concorda com seu uso. Visite nossa Política de Cookies para saber mais.
Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir

Exclusivas

Aplicativo ‘Grana’ ajuda investidores da Bolsa na gestão do Imposto de Renda

Thais Andradeem 12 de julho de 2021 17:47

    Em entrevista à BP Money, o CEO da Grana Capital, André Kelmanson fala sobre o aplicativo Grana, os próximos passos da companhia e muito mais.

    “A Grana Capital oferece o aplicativo Grana, que é o primeiro no mercado brasileiro, e por enquanto o único, a automatizar integralmente a gestão do Imposto de Renda para investidores da Bolsa, o que inclui as etapas de cálculo, pagamento e declaração”, diz André.

    O aplicativo tem conexão direta com o sistema da B3, a bolsa de valores oficial do Brasil, e registra cada movimentação feita pelo investidor, de modo que ele não precisa sequer importar as notas de corretagem para o aplicativo. Dessa forma, o aplicativo auxilia, principalmente, quem começou a operar há pouco tempo na Bolsa e não têm conhecimento acerca da burocracia fiscal, como a necessidade de acompanhar e pagar os Documentos de Arrecadação de Receitas Federais (DARFs) mensalmente.

    Entre março e maio deste ano, por exemplo, o app entregou mais de 13 mil relatórios de declaração de IR aos usuários. 

    Confira a entrevista completa:

    Como e com qual intuito surgiu a Grana Capital? 

    A Grana Capital foi fundada em 2019 dentro da Investtools, empresa reconhecida por desenvolver softwares para o mercado financeiro. Por meio de uma pesquisa, nós identificamos uma dor muito grande no universo dos investidores: a burocracia e a complexidade envolvendo o Imposto de Renda no caso de renda variável. Muitos deles alegaram que não queriam dedicar seus esforços e tempo para entender as regras envolvendo o cálculo e pagamento mensal dos Documentos de Arrecadação de Receitas Federais (DARFs); às vezes, novos investidores sequer sabem desse compromisso mensal com a Receita. 

    Eles também não queriam ter que recorrer a contadores para resolver o problema. Foi assim que a Grana Capital surgiu, com a proposta de atender a esse público e oferecer uma solução inédita e automatizada, para que os investidores não precisassem nem pensar no IR da Bolsa.
     
    Atualmente, quais são os serviços oferecidos pela empresa? 

    A Grana Capital oferece o aplicativo Grana, que é o primeiro no mercado brasileiro, e por enquanto o único, a automatizar integralmente a gestão do Imposto de Renda para investidores da Bolsa, o que inclui as etapas de cálculo, pagamento e declaração. A plataforma tem conexão direta com o sistema da B3 e registra cada movimentação feita pelo investidor, de modo que o cliente não precisa sequer importar as notas de corretagem para o Grana. Desse modo, o usuário só precisa olhar o aplicativo uma vez no mês para saber se tem IR, qual o valor e quando é o prazo de pagamento. 

    Tendo imposto no mês, o usuário consegue pagar pela própria plataforma, usando boleto, PIX ou cartão de crédito. Tudo isso é em relação ao IR que os investidores da Bolsa precisam apurar mensalmente. 

    Mas existe também uma outra obrigação do contribuinte, que é a Declaração Anual. Quanto a isso, o aplicativo também ajuda, gerando um relatório com todos os dados que precisam ser lançados no programa da Receita Federal, referentes aos investimentos configurados na plataforma. O usuário só copia os dados do Grana e cola na Declaração do IRPF. 

    O aplicativo faz ainda o controle consolidado de carteira. O usuário consegue saber quanto estão rendendo, juntos, todos os seus investimentos em ações, fundos imobiliários, ETFs, BDRs e opções, mesmo se estiverem em corretoras diferentes. 

    A Grana Capital capitalizou R$ 5 milhões na plataforma de equity crowdfunding SMU. Essa é a primeira vez que uma empresa recebe, na SMU, a quantia máxima permitida pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para tal modalidade e o terceiro caso na história do crowdfunding de investimentos no Brasil. Quais motivos você atribui a esse sucesso na captação? 

    Em setembro do ano passado, nós fizemos uma primeira captação na SMU e recebemos um aporte de R$ 700 mil de 75 investidores em quatro dias. Naquela ocasião, nós nos comprometemos em gerar tração no aplicativo, ou seja, trazer muita gente para a plataforma e solucionar as dores dessas pessoas relativas ao IR da Bolsa. 

    A gente escolheu uma meta bem ousada, de crescer 46% ao mês. Para você ter uma ideia, esse número a gente pegou da Y Combinator, que é uma aceleradora americana que já investiu em startups como Airbnb e Dropbox. Segundo a Y Combinator, esse ritmo de crescimento é excepcionalmente bom. Então, já seria um desafio imenso. Só que de setembro de 2020 a março de 2021, a gente não cresceu 46% ao mês e, sim, 74% ao mês. 

    Então, acho que ficou muito claro que existe demanda para o nosso aplicativo e a solução que a gente oferece é bem satisfatória. Estamos com nota 4,7 de 5 nas lojas de aplicativos Android e iOS, com mais de 2 mil avaliações. O fato de grande parte dos investidores desta rodada serem usuários da plataforma é um grande sinal do valor que nossos clientes veem no Grana.

    O que a Grana oferece de diferencial aos seus investidores? 

    Se você estiver falando das pessoas que investem na Bolsa e usam o aplicativo, o nosso grande diferencial está no fato de que, com o Grana, você não precisa gastar mais do que dois minutos por mês pensando no IR. Nenhuma outra plataforma oferece isso. Na melhor das hipóteses, o usuário precisa importar todas as suas notas de corretagem para o sistema, mensalmente. No Grana, o cliente só precisa abrir o aplicativo, ver se tem imposto e, se tiver, pagar ali mesmo. 

    Mas, se a pergunta se refere às pessoas que investiram na nossa fintech para se tornarem nossos sócios, acredito que o grande diferencial, em comparação com outras startups, está no fato de que ficou muito claro que o nosso produto tem um grande valor para um grande número de pessoas. 

    Recentemente, uma empresa que calcula IR da Bolsa foi comprada por R$ 95 milhões. Existe a diferença de que o Grana tem um nível de automatização maior, de modo que nossos clientes precisam gastar menos tempo pensando no IR da Bolsa. Desse ponto de vista, nosso valuation, de R$ 32 milhões, acabou ficando bastante atraente para os investidores. 

    Quais são os próximos passos da Grana Capital? 

    Com o novo aporte, nós passamos para um novo patamar. No primeiro crowdfunding, em setembro do ano passado, nosso objetivo era gerar tração, como eu falei. Agora a situação mudou e nosso novo foco é gerar receita. Nosso faturamento, até o final do ano passado, era embrionário. Servia mais para validar se as pessoas estariam dispostas a pagar pelo serviço. 

    No começo deste ano, aprimoramos o sistema de pagamento e agora vamos testar outros modelos de precificação. Do ponto de vista do aplicativo em si, isso significa que aperfeiçoaremos as funcionalidades atuais e desenvolveremos novas, com o objetivo de resolver cada vez mais dores dos investidores.

    Relacionadas