Logo BP Money
Aliexpress anuncia ampliação no número de voos para o Brasil
Inflação: preço da cesta básica em São Paulo supera valor do salário mínimo
Economia

Poupança: com R$ 52 bi na caderneta, milionários deixam de ganhar até R$ 2,5 bi por ano

Atualmente, existem cerca de 24 mil contas de poupança com saldo superior a R$ 1 milhão

por Redação BP Money

15 de junho de 2022 12:26Atualizado em: 15 de junho de 2022 12:33
Poupança: com R$ 52 bi na caderneta, milionários deixam de ganhar até R$ 2,5 bi por ano

Vários tipos de investimentos estão chamando atenção, mas ainda não o suficiente para tirar a caderneta de poupança do posto de uma das principais opções de investimento dos brasileiros, inclusive para os milionários que, possivelmente, têm acesso a alternativas mais rentáveis. 

Atualmente, existem cerca de 24 mil contas de poupança com saldo superior a R$ 1 milhão, segundo dados de abril divulgados pelo FGC (Fundo Garantidor de Créditos). Juntas, somam aplicações de R$ 51,9 bilhões. 

Analistas e economistas salientam que manter tanto dinheiro na caderneta é indefensável no momento atual, principalmente por conta do rendimento. A poupança remunera os depósitos com juros de 0,5% ao mês (ou 6,17% ao ano) mais a variação da TR (Taxa Referencial), que ficou zerada por anos. 

Já a Selic, taxa básica de juros, está em 12,75% ao ano. Porém, deve passar para 13% nesta quarta-feira (15), com a decisão do Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central

Insistência na poupança "prejudica" milionários

Ao insistir na poupança, esses milionários perdem dinheiro individualmente, mas também em conjunto. De acordo com o Infomoney, eles deixam de ganhar até R$ 2,5 bilhões em um ano por não migrar os recursos para alternativas mais rentáveis.

Ainda segundo à publicação, a simulação foi feita por Camilla Dolle, head de renda fixa da XP Investimentos, que compara quanto os R$ 51,9 bilhões pertencentes a esse grupo renderiam a mais se fossem aplicados em outros papéis. Na caderneta, esse valor se transformaria em R$ 55,9 bilhões ao final de um ano.

Já em outras aplicações, o número seria bem maior, inclusive sendo tão seguras quanto a poupança. No Tesouro Selic, título público pós-fixado disponível no Tesouro Direto, o valor final subiria para R$ 57,9 bilhões, já descontando o Imposto de Renda.

Já em títulos bancários, as cifras seriam ainda maiores. Com um CDB que rendesse 110% da taxa do CDI, os valores chegariam a R$ 58,1 bilhões. Com LCA a 95% do CDI, chegaria a R$ 58,4 bilhões.

Fatores como procrastinação, inércia ou insegurança são bastante significativos para que, mesmo os milionários, mantenham o dinheiro na poupança. 

É possível diversificar a carteira sendo conservador

Por mais que o medo acabe fazendo com que muitos mantenham seu dinheiro na poupança, existem diversos investimentos em renda fixa que também manterão uma grande segurança, mas trazendo uma rentabilidade maior. 

Segundo a simulação de Camilla, da XP, a rentabilidade anual líquida passaria de cerca de 8% ao ano na poupança (considerando uma projeção de TR de 0,13% ao mês) para 11% ao ano no Tesouro Selic com vencimento em 2025.

Como opção, o investidor poderia buscar papéis cobertos pelo FGC, mesma espécie de “seguro” que assegura os depósitos na caderneta. O FGC devolve até R$ 250 mil por investidor (CPF) e por instituição caso haja algum problema financeiro mais sério, como uma intervenção do Banco Central. 

Camilla ainda lembra de outras maneiras para substituir a poupança, como mesclar indexadores, com parte das aplicações prefixadas, parte pós-fixadas e parte atreladas à inflação.