Logo BP Money
China: exportações crescem acima do esperado em julho
Golpes bancários disparam e devem gerar prejuízos bilionários em 2022
Economia

Petrobras (PETR4): Andrade nega recomendação do governo para alterar política de preços

Em ata, ele negou ter recebido qualquer orientação "específica ou geral" do governo federal

por Redação BP Money

26 de junho de 2022 11:31Atualizado em: 26 de junho de 2022 14:39
Petrobras (PETR4): Andrade nega recomendação do governo para alterar política de preços
Reprodução/LinkedIn

A Petrobras (PETR4) divulgou a ata da reunião do Comitê de Elegibilidade (Celeg), realizado na última sexta-feira (24), ocasião em que foi aprovada a indicação de Caio Paes de Andrade para os cargos de conselheiro de administração e presidente da estatal. De acordo com o documento, o indicado negou ter recebido qualquer “orientação específica ou geral” do governo federal para alterar a política de preço dos combustíveis.

Andrade havia sido convidado para uma entrevista formal com o Celeg, mas declinou o convite do encontro presencial. O objetivo da entrevista era que ele prestasse informações sobre a política de preços dos combustíveis e as mudanças na governança da companhia. No entanto, o indicado pelo presidente aceitou responder perguntas do grupo por escrito.  

Leia também: Para além da Petrobras, veja em quais ações investir do setor de petróleo

Mesmo assim, na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que o novo dirigente da Petrobras irá trocar toda a diretoria da estatal e que poderá alterar a atual política de preços da companhia, que vem sendo alvo de críticas do governo federal.

Indicação de Paes de Andrade foi aprovada por três votos a um

O documento também relata que, na reunião do Comitê de Elegibilidade, três votos foram favoráveis à indicação de Caio Paes de Andrade, enquanto um voto foi contrário. O voto contrário veio do presidente do Celeg, Francisco Petros, representante de acionistas minoritários.

“Em relação à capacidade de gestão do candidato, com o devido respeito, não encontrei nos documentos disponibilizados o respaldo que me permita formar uma convicção favorável ao candidato”, afirmou Petros.

Petros apontou que o indicado é formado em comunicação social, área não vinculada à atuação da companhia. Também ressaltou que o candidato tem experiência em empresas de menor complexidade que a Petrobras.

Caio Paes de Andrade vem da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, onde é responsável pela plataforma Gov.br. Andrade é o quinto indicado pelo governo federal para presidir a Petrobras, substituindo José Mauro Ferreira Filho, que havia assumido o cargo em abril.