Privacidade e cookies: Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiencia como utilizados.Ao continuar a usar este site, você concorda com seu uso. Visite nossa Política de Cookies para saber mais.
Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir

Dinheiro

Latam diz estar preparada para enfrentar nova variante

Folhapressem 27 de novembro de 2021 14:00
  • No entanto, a companhia não informou detalhes sobre as estratégias a serem adotadas.;
  • A nova variante surgiu na África do Sul;
  • A empresa apresentou plano de recuperação judicial na noite desta sexta-feira (26), que prevê uma injeção de US$ 8,19 bilhões.

O presidente da Latam Airlines, Roberto Alvo, afirmou, neste sábado (27), que a empresa está preparada financeiramente para eventuais restrições governamentais para evitar a propagação da variante ômicron, identificada na África do Sul.

Em entrevista coletiva após o anúncio do plano de recuperação de mais de US$ 8 bilhões (R$ 44,6 bilhões), Alvo disse que a demanda da Latam se recuperou nos últimos três ou quatro meses, não só no Brasil como em outros países em que operam. E que a empresa tem flexibilidade para parar, caso haja uma nova onda na pandemia.

"Estamos cientes da possibilidade de novas restrições para a mobilidade, e o grupo se preparou para ter uma estrutura de custos muito variável. Ficamos muito tranquilos, hoje, de que teremos a fortaleza financeira e capacidade operacional de reagir a mudanças muito fortes."

No entanto, o presidente não informou detalhes sobre as estratégias a serem adotadas. Apenas disse que acionistas e credores têm compromisso para levantar recursos, mas, como ainda não há efeito claro da nova cepa, "não cabem especulações".

Apoio dos credores para aprovação do plano Sobre o plano de recuperação da Latam, Roberto Alvo afirmou já ter apoio de maioria dos credores para a aprovação. "A companhia, hoje, já tem apoio de 71% dos credores, sendo que, para ser aprovado na lei americana, precisa de dois terços."

A empresa apresentou plano de recuperação judicial na noite desta sexta-feira (26), que prevê uma injeção de US$ 8,19 bilhões, ao Tribunal de Falência dos Estados Unidos, em Nova York -um alívio aos principais acionistas e gestores da chilena. A estimativa é que o plano seja aprovado por volta do dia 27 de janeiro de 2022, data da próxima audiência.

Segundo o executivo, a companhia aérea Azul manifestou interesse na compra do negócio, porém, ele afirma que a proposta era "insuficiente e inaplicável" e que, por isso, foi descartada.

Relacionadas