Privacidade e cookies: Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiencia como utilizados.Ao continuar a usar este site, você concorda com seu uso. Visite nossa Política de Cookies para saber mais.
Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir

Dinheiro

A melhor renda fixa do mundo pertence a China, diz economista

Redação BP Moneyem 7 de dezembro de 2021 21:39
  • O que desperta a busca do governo chines por uma moeda mais estável, como é o caso do euro e do dólar, é exatamente o ambiente de competição da China com os Estados Unidos;
  • Outro aspecto notável dessa rivalidade é o tamanho do PIB, onde China vai passar a crescer de forma mais saudável, cerca de 4-5% ao ano;
  • Enquanto o mundo deve adentrar um período de recessão, a China segue contra a correntes a e passa por um momento de crescimento cíclico.

Os olhos dos investidores ocidentais, incluindo os brasileiros, estão cada vez mais atentos para o mercado chinês. O que afasta a confiança do mercado são as diferenças culturais e, principalmente, políticas do país asiático. 

Esses pontos foram abordados pelo Fernando Fenolio, sócio e economista-chefe da WHG, que é uma gestora brasileira focada em investimentos no exterior. Durante uma edição do podcast Coffee & Stocks, o economista falou sobre as oportunidades de investimento na China.  

O que desperta a busca do governo chines por uma moeda mais estável, como é o caso do euro e do dólar, é exatamente o ambiente de competição da China com os Estados Unidos. Outro aspecto notável dessa rivalidade é o tamanho do PIB, onde China vai passar a crescer de forma mais saudável, cerca de 4-5% ao ano, tendo uma menor alavancagem e endividamento. 

Segundo Fenolio, se o investidor tem interesse em surfar no fluxo da fronteira tecnológica é bom apostar na china, que é o maior expoente da asia e que vai a tendencia para os próximos dos dez anos vai ser o portifólio voltado para o continente asiático. Enquanto o mundo deve adentrar um período de recessão, a China segue contra a correntes a e passa por um momento de crescimento cíclico, o que é bom para diversificação de carteira. 

A ambição da economia chinesa não para por aí, o economista acredita que a pretensão do país é busca se tornar uma alternativa mundial para moeda e reserva de valor e mercado financeiro. ‘’A China certamente vai querer ter um mercado financeiro tão desenvolvido quanto o europeu ou o americano e isso está só começando’ ’argumentou. 

Nos últimos cinco anos o número de investimentos em renda fixa e variável por parte dos estrangeiros saiu de 1% e se torna exponencial com 4-5%. De acordo com Fenolio, ainda há muito espaço para o investidor internacional, que é incentivado pelo governo chines.  

Mas por que essa animação do governo com o investidor estrangeiro? Na visão do economista é a necessidade do investidor de fora para a formação de um mercado altamente desenvolvido. Outro motivo para isso é achar uma moeda que bata de frente com o dólar no poder de compra e estabilidade, para alcançar a independência do sistema financeiro americano. 

‘’A China é um país grande demais para ser ignorado’’, a frase de Fenolio poderia ser o slogan do país que possui a melhor renda fixa do mundo, entregando baixo risco e um retorno muito atraente. 

A China está fazendo investimentos pesados em cadeias produtivas, o que gera uma desaceleração de um percentual de 8% do PIB a qualquer custo, causando um impacto consciente e saudável na economia. O mercado chines agora investe em pequenas e medias empresas, deixando um pouco de lado os commodities.

 

A BP Money apenas reproduz análises com intenção de levar matérias de cunho jornalístico para democratizar o direito a informação. Nossas publicações devem ser compreendidas como boletins anunciadores e divulgadores, e não como uma recomendação de investimento.

Relacionadas