Logo BP Money
Apple (APPL34) e Kim Kardashian lançam nova coleção de fones
Locaweb (LWSA3) é “top pick” no setor, defende BofA
Aprenda

Consórcio: o que é e como funciona

O consórcio é um serviço que ajuda a conquistar bens, projetos e também sua liberdade financeira

por Redação BP Money

2 de julho de 2022 8:10Atualizado em: 1 de julho de 2022 17:19
Consórcio: o que é e como funciona
Foto: Divulgação

Comprar um carro ou um imóvel é o sonho de muitos brasileiros. Porém, sabemos que a situação econômica do Brasil acaba dificultando. No entanto, existem opções que te ajudam a realizar essas metas, como o consórcio

O consórcio é um serviço que ajuda a conquistar bens, projetos e também sua liberdade financeira. É um meio de autofinanciamento no qual pessoas físicas ou jurídicas se reúnem para formar uma poupança conjunta e viabilizar a aquisição de bens móveis, imóveis ou serviços para cada uma delas.

A gestão destes grupos é feita por administradoras de consórcios, instituições que precisam de autorização do Banco Central para funcionar e são fiscalizadas pela autoridade monetária.

O que é consórcio?

O consórcio é uma modalidade de aquisição, baseada na união de pessoas que têm o objetivo comum de adquirir um bem ou serviço. Todos os integrantes contribuem com um valor, de forma mensal, formando uma poupança comum a todos. 

Todos têm acesso à sua carta de crédito e podem adquirir o bem desejado até o fim do período estipulado em contrato. Caso alguém queira aumentar suas chances de ser contemplado, há a possibilidade de ofertar um lance, que nada mais é que um valor oferecido pelo participante como antecipação de parcelas do consórcio.

É possível planejar diversos tipos de aquisição, pois existem consórcios para bens móveis — como carros, motos e caminhões —, imóveis — casas, apartamentos e prédios comerciais — e até serviços — viagens e tratamentos estéticos.

O consórcio é organizado por empresas, chamadas de administradoras e o funcionamento delas é fiscalizado pelo Banco Central do Brasil.

Principais tipos de consórcios

Os mais populares são os consórcios de veículos. De acordo com Rossi, da Abac, essa categoria responde por 83% dos quase 8 milhões de contratos existentes do país. Este grupo inclui automóveis de passeio, veículos comerciais, máquinas agrícolas, motos e outros.

Em seguida vêm os imóveis, com mais de 1 milhão de consórcios. Depois vêm os de serviços, com 183 mil, e os de eletroeletrônicos, com 128 mil.

Vantagens e Desvantagens 

A primeira grande vantagem do consórcio é não precisar dar nenhum valor de entrada, como nos financiamentos, por exemplo. Assim, o valor do bem ou do serviço é diluído em parcelas. Não há também necessidade de apresentar garantias até a contemplação, então o processo de adesão é mais simples.

Fatores como prazos mais longos e custos mais baixos que os dos financiamentos também são favoráveis aos consórcios. 

Já nas desvantagens, o consorciado não recebe o bem ao aderir ao grupo e precisa contar com a sorte para ser sorteado ou ter recursos para dar um lance.

Custos dos consórcios

Além das parcelas, o consorciado também arca com taxa de administração. Além disso, são cobradas contribuições para fundo de reserva e seguro, caso previstas em contrato.

A taxa de administração é a remuneração devida à administradora e varia de caso a caso. O valor dela é calculado sobre o valor total do bem ou serviço e dividida pelo prazo do consórcio. Com isso, é diluída nas prestações. 

Já o fundo de reserva é valor acumulado para ser usado pelo grupo em casos como: cobertura para insuficiência de recursos no fundo comum; pagamento de prêmio de seguro em caso de inadimplência de consorciados contemplados; pagamento de despesas bancarias; pagamento de custas de medidas judiciais ou extrajudiciais para cobranças; e contemplação por sorteio desde que não comprometa sua utilização nos casos anteriores.

O saldo do fundo de reserva é dividido entre os participantes após o término do consórcio. O cálculo é o mesmo da taxa de administração.

O que é lance?

O lance é uma proposta de antecipação de parcelas que o consorciado pode fazer em assembleia para ser contemplado, caso não tenha sido sorteado. É uma espécie de leilão, no qual o maior lance ganha. 

O número de sorteios e lances depende do dinheiro disponível no fundo comum, afinal o grupo precisa ter caixa para honrar as cartas de crédito.

Logo após a realização dos sorteios ocorre, na assembleia geral do consórcio, a avaliação dos lances. Isso porque a administradora precisa verificar quanto dinheiro resta no fundo com a dedução dos créditos sorteados.

A quantia do lance é abatida do saldo devedor do consorciado, que só paga se sua oferta for a vencedora. Não há limitação legal para o valor do lance, mas pode haver em contrato. Os critérios de desempate em caso de ofertas iguais são também preestabelecidos.

Todas essas informações devem ser consideradas no momento da assinatura. O montante máximo de um lance, de toda forma, é o valor do saldo devedor restante.

Existem algumas maneiras de realizar os lances: ele pode ser feito com recursos próprios do consorciado, no qual o mesmo recebe a carta de crédito com o montante total contratado, como também pode ser "embutido", descontando no crédito contratado. 

Se o valor total da carta de crédito é de R$ 100 mil e o participante oferece R$ 20 mil num lance embutido, receberá R$ 80 mil para aquisição do item caso seja contemplado. O restante é abatido no saldo devedor. 

Já em casos de consórcios de imóveis, o consorciado poderá usar o saldo do FGTS para dar um lance. Ele funciona como no lance embutido, pois o dinheiro do FGTS vai diretamente para o vendedor do imóvel.

Neste caso, a administradora vai liberar o crédito descontado o FGTS. Se o crédito for de R$ 300 mil, por exemplo, e o saldo do FGTS de R$ 50 mil, a empresa gestora irá disponibilizar R$ 250 mil.

O que é contemplação?

A contemplação ocorre quando o consorciado recebe o crédito para comprar o bem ou serviço desejado, por sorteio ou lance. De posse da carta de crédito, o contemplado pode fazer a compra onde quiser.

Para recebê-la, ou seja, ser contemplado com a carta de crédito, existem três possibilidades. Na primeira delas, você poderá ser sorteado em uma das assembleias mensais realizadas pela administradora. Se for esse o seu caso, você poderá antecipar a compra do bem e, depois, continuar pagando as parcelas do consórcio até o término do contrato.

Outra forma de obter a carta de crédito antecipadamente é, como consorciado, também na assembleia mensal, oferecer um lance. Nesse caso, você pode antecipar o pagamento de algumas parcelas nesse mês. Todos os participantes têm o direito de oferecer lances. O contemplado será o que ofereceu mais. 

Caso nenhuma das possibilidades ocorrerem, a contemplação será feita quando forem quitadas todas as parcelas do consórcio.

Consórcio x Financiamento 

A escolha depende muito do seu objetivo. Se há necessidade do bem ou serviço com rapidez, o financiamento é a melhor saída, pois no consórcio é preciso contar com a sorte para ser sorteado ou ter recursos para apresentar um lance competitivo.

A vantagem do consórcio é que, em tese, ele é mais barato, pois não há cobrança de juros.