Privacidade e cookies: Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiencia como utilizados.Ao continuar a usar este site, você concorda com seu uso. Visite nossa Política de Cookies para saber mais.
Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir

Mobills

Como sair das dívidas: 5 dicas práticas (+1 dica bônus)

Mobillsem 30 de setembro de 2021 10:00

As dívidas podem nos fazer perder o sono, ainda mais quando não temos ideia de como sair dessa situação. Segundo dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o endividamento das famílias brasileiras que recebem até 10 salários mínimos alcançou a marca de 72% em julho de 2021. Ainda segundo essa pesquisa, o maior vilão do endividamento é o cartão de crédito, sendo responsável pela dívida de 82% das famílias endividadas. Ficou surpreso com essa realidade? Confira as melhores dicas para sair dessa situação!

1. Faça um levantamento de dívidas

Pode parecer uma dica boba, mas muitas pessoas não sabem o valor exato das suas dívidas. Sendo assim, o primeiro passo é saber exatamente quanto possui de dívidas em seu nome, inclusive juros e taxas adicionais por atraso. Além disso, caso tenha mais de uma dívida, é importante saber qual delas tem a taxa de juros maior, para facilitar na hora de planejar o pagamento. As principais informações que você deve conhecer das suas dívidas são:

  • Valor inicial;
  • Valor final;
  • Tipo de dívida;
  • Quem é o credor;
  • Taxa de juros;
  • Número de parcelas.

2. Conheça suas possibilidades

Agora que já sabe quanto e para quem está devendo, é importante saber de onde sairá o dinheiro para quitar essas dívidas. Portanto, faça um diagnóstico da sua situação financeira e descubra:

  • Quais são suas fontes de renda;
  • Quanto você ganha por mês sem descontos;
  • Quanto gasta por mês em despesas fixas e variáveis;
  • Quanto do seu salário está comprometido mensalmente.

3. Monte uma estratégia de pagamento

Dívidas com o cartão de crédito ou cheque especial costumam ter juros mais altos, então faz sentido começar a negociar por elas. Uma opção para quitar as dívidas e centralizar as parcelas é fazer um empréstimo, no entanto, essa opção só é válida se a taxa de juros do crédito for menor que a da dívida. 

Ou seja, ao fazer um empréstimo com juros de 3% a.m por exemplo, para pagar o cheque especial e o cartão de crédito, você não irá perder tanto dinheiro com juros. Isso porque, dependendo do cartão de crédito, os juros podem chegar até 20% ao mês. Já o cheque especial é de, em média, 8% ao mês. 

Dessa maneira você faz a consolidação das dívidas, diminuindo os juros, centralizando e escolhendo um prazo e valor de mensalidade que cabe em seu bolso. De qualquer forma, estabeleça um valor mensal que caiba em seu orçamento para quitar suas dívidas, seja para pagar a negociação ou o empréstimo. 

4. Negocie suas dívidas

Se pegar um empréstimo para quitar as dívidas não é uma opção, então você deve negociar e tentar chegar no melhor valor para você. Para isso, é importante saber qual o valor máximo que você pode pagar nas parcelas sem prejudicar seu orçamento. A partir disso, você pode iniciar a negociação oferecendo ao credor uma proposta de parcelamento e fazer a negociação. 

O mais importante é sempre ter em mente que é o seu planejamento que vai definir o valor disponível para quitação das dívidas. E, principalmente, é muito importante que você não faça nenhum acordo sem ter a real intenção de arcar com ele. 

5. Tenha um objetivo alcançável

Ter um objetivo bem definido e alcançável pode te ajudar a enxergar a luz no fim do túnel e cumprir com os acordos que fizer. Sendo assim, estabeleça um objetivo financeiro e trace metas para cumprí-lo. Assim, pagar as mensalidades todos os meses não se torna uma obrigação, mas sim um passo para ficar mais perto do seu objetivo.

Dica bônus: Controle seus gastos e economize dinheiro

Ter uma boa saúde financeira não depende apenas de pagar as dívidas atrasadas, mas de saber se planejar e seguir firme no planejamento financeiro estabelecido, não fazendo novas dívidas.  Além disso, ao fazer o controle financeiro em um software de finanças pessoais, será possível detectar alguns gastos desnecessários que podem estar afetando seu bolso e você nem percebe. Como:

Cartão de crédito

Seu cartão de crédito tem anuidade? Existem algumas boas opções de cartões de crédito sem anuidade no mercado, que você pode trocar sem se prejudicar. Pense nisso!

Serviços de streaming

Pense bem no que gosta de ver, tenha uma lista de séries e filmes que deseja assistir e faça as assinaturas de acordo com o uso.  Você pode fazer um rodízio mês a mês de cada um dos serviços, já que eles não cobram fidelidade nem taxa de cancelamento.

Aplicativos de comida

Pode não parecer, mas pedir comida sempre em aplicativos pode fazer uma diferença enorme na fatura no fim do mês. Por serem valores menores é possível não sentir o impacto na hora da compra, mas ao somar todos os dias que fez pedido de comida, pode se surpreender. Então, repense esse hábito, caso perceba que está impactando negativamente seu orçamento. 

Afinal, é possível sair das dívidas?

Sim! Com planejamento e disciplina é possível limpar o nome e ter uma vida financeira mais saudável. No entanto, nunca se esqueça que esses hábitos que irá adotar durante o processo de quitação devem permanecer com você pelo resto da vida, assim você garante não passar pela mesma situação outra vez.

Relacionadas