Privacidade e cookies: Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiencia como utilizados.Ao continuar a usar este site, você concorda com seu uso. Visite nossa Política de Cookies para saber mais.
Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir

Mobills

Como construir uma carteira de investimentos com base no perfil de investidor

Mobillsem 16 de setembro de 2021 15:30

 

Para que você consiga identificar o seu perfil de investidor é necessário entender se necessita dos recursos investidos para suprir suas necessidades básicas, qual o período que pode manter o valor investido, sua sensibilidade à volatilidade do mercado, seus objetivos financeiros e o conhecimento sobre investimentos, entre outros. A partir dessas informações é possível saber se possui um perfil de investidor conversador (mais avesso ao risco), moderado (com leve aceitação ao risco), ou agressivo (com alta aceitação ao risco).

Se o seu pensamento é mais de longo prazo e tem uma vida financeira mais equilibrada, por exemplo, mais risco pode correr. Ou seja, pode investir pensando em uma maior rentabilidade apesar do risco dos ativos. Confira, a seguir, as melhores dicas para construir uma carteira de investimentos com base no seu perfil de investidor:

Conheça o seu perfil de investidor

Para investir com base no seu perfil de risco é preciso, antes de mais nada, abrir conta em uma corretora de valores ou banco de investimentos e fazer um teste de perfil para identificar sua aversão ao risco e entender quais as melhores aplicações financeiras para você. 

As perguntas são um pouco diferentes para cada instituição, no entanto, o princípio é o mesmo. Sendo assim, busque responder o questionário para saber se é um investidor mais conservador, moderado ou agressivo.

Tenha objetivos e metas claras

Um objetivo nada mais é do que aquilo que deseja conquistar ao longo do tempo. Enquanto isso, uma meta funciona como uma tarefa que vai te ajudar a conquistar o seu objetivo. 

De maneira simples, ter objetivos e metas claras é essencial para fazer investimentos mais inteligentes. Isso acontece porque cada ativo necessita de um aporte (valor investido), prazo e aceitação ao risco diferente. Logo, não adianta investir em ativos com grande potencial de retorno no longo prazo se o foco no momento são os seus objetivos de curto prazo.

Defina uma meta de poupança mensal

Uma boa estratégia de investimento possui a frequência nos aportes como aliada. Portanto, faça um diagnóstico financeiro, mapeie suas receitas e despesas principais, e defina uma meta de poupança mensal. O recomendado é que separe essa quantia para investir assim que receber sua receita principal. Com isso, evita esquecimentos ou mesmo gastar o valor com algo que não precisa. 

Nesse sentido, tenha também bastante cuidado com o cartão de crédito. Apesar de trazer inúmeros benefícios quando bem utilizado, as altas taxas de juros e a ilusão de extensão de renda podem acabar prejudicando sua meta de poupar para investir.

Invista de acordo com o seu perfil e objetivos

Agora que já conhece seu perfil e objetivos, e tem uma meta de poupança definida, é hora de começar a investir. Inicialmente, independente do seu perfil de investidor, o foco principal deve ser montar sua reserva de emergência em ativos financeiros de baixo risco e alta liquidez (facilidade de resgate).

Após ter sua reserva financeira concluída, o ideal é diversificar a carteira pensando nos seus outros objetivos. Sabendo que, objetivos de curto prazo necessitam de segurança e liquidez. Objetivos de médio prazo podem ter menos liquidez contanto que tenham uma melhor rentabilidade. Já os objetivos de longo prazo podem aceitar bem ativos com maior risco e rentabilidade, se o seu perfil de investidor for mais agressivo.

Estude sobre investimentos

Os investimentos com as melhores chances de retorno são arriscados e devem ser pensados com foco no longo prazo. Todavia, perfis mais conservadores e moderados podem não aceitar bem esses ativos. Logo, para garantir um melhor retorno dos ativos, é essencial estudar sobre o assunto e praticar. Afinal, geralmente o medo de investir se dá devido a falta de conhecimento. Então, a partir do momento que você entende o que faz, aumenta as chances de diversificar e fazer escolhas mais assertivas.
 

Relacionadas