Privacidade e cookies: Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiencia como utilizados.Ao continuar a usar este site, você concorda com seu uso. Visite nossa Política de Cookies para saber mais.
Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir

Emprego e Carreira

A importância da liderança feminina

Gabriel Falcãoem 27 de outubro de 2021 9:15

A discussão sobre igualdade entre gêneros ganhou forte impulso nos últimos cinco anos e chama a atenção para a urgência de condições de trabalho, salários e tratamento realizados com equidade dentro das empresas. Apesar de conquistas expressivas, como a licença-maternidade de seis meses aprovada pela Comissão de Assuntos Sociais, ainda há muito o que caminhar, já mulheres recebem apenas 72,9% do salário de um homem que está no mesmo cargo.

Segundo pesquisa apresentada pela Harvard Business Review, as mulheres em cargos de liderança mostraram mais eficiência durante a pandemia do Covid-19, que afetou praticamente todas as empresas, ao apresentarem mais resultados positivos e contribuírem de maneira mais expressiva para o engajamento dos trabalhadores.

O aumento significativo da presença de mulheres em cargos de liderança mostra que o mercado está cada vez mais engajado em deixar essa balança mais equilibrada, sendo crescente o número de pedidos para incluir mulheres na lista de candidatos finalistas a uma vaga. A presença feminina em processos seletivos também aumentou, passando de 50% em 2019 para 70% em 2020.

LinkedIn apontou em seu levantamento global que a igualdade de gênero ainda não é uma realidade para a maioria dos empregos de rápido crescimento, mas quatro áreas progrediram e expandiram a proporção de mulheres contratadas para cargos de gestão sênior. Entre elas estão: software e serviços de TI, serviços financeiros, saúde e manufatura.

Apesar da discussão de uma maior participação das mulheres em cargos de liderança ter aumentado nos últimos anos, a sua participação em postos-chave ainda é raridade no Brasil. Mas existe luz no fim do túnel, uma pesquisa da Grant Thornton aponta que 16% dos cargos de CEO e diretoria executiva do país são ocupados por mulheres, contra 12% da média mundial, e para isso, o trabalho do RH torna-se essencial.

Uma das dicas que apresentamos aqui é:

Rede de Contatos- Em muitos casos as mulheres não confiam em suas capacidades para ocupar posições de liderança por não terem exemplos, nem uma rede de confiança onde possam trocar ideias e aprendizados. Construir uma rede diversa, formada por homens e mulheres, com a qual consiga trocar experiências terá um resultado positivo.

Planeje- Para alcançar cargos de liderança é necessário desenvolver habilidades e aperfeiçoar competências essenciais, buscar conhecimento através de cursos também é importante para desenvolver profissionalmente

E para quem tem dúvidas sobre as vantagens da liderança feminina, pesquisas apontam que empresas que equilibram a gestão entre mulheres e homens obtêm mais sucesso financeiro e refletem uma maior diversidade social.

Relacionadas