Privacidade e cookies: Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiencia como utilizados.Ao continuar a usar este site, você concorda com seu uso. Visite nossa Política de Cookies para saber mais.
Ícone do aplicativo na loja

BP Money

Grátis na App Store

Abrir

Business builders

Como escolher seu sócio?

Gabriel Boyerem 18 de novembro de 2021 13:57

*Gabriel Boyer, investidor serial

Nos meus mais de 20 anos de carreira, boa parte como executivo de multinacional no setor de seguros, uma pergunta sempre esteve nos ambientes corporativos em que trabalhei: como escolher um sócio? Quais são os passos definitivos para fazer uma escolha de sucesso? Na minha visão, escolher um sócio é uma ciência tão exata quanto gestão financeira. 

Minha facilidade com os números nasceu nos tempos de criança e os caminhos naturais na carreira me levariam a cursar engenharia ou economia. Por sorte ou destino decidi cursar Ciências Atuariais na UFRJ. Durante mais de 20 anos fui executivo em empresas como Marsh & McLennan, XL Re, Max Re (posteriormente, Alterra), Markel e NEWE Seguros. Atualmente sou sócio na cervejaria fitness Lapa Low e Conselheiro no Rancho SFP e Lavoro Seguros. 

Todas essas experiências fizeram com que eu entendesse a ciência por trás desse processo. Acredito que o primeiro passo é entender a importância dessa pessoa para o seu negócio, porque, de fato, a confiança precisa ser o principal vínculo entre ambos. Você precisa levar em consideração que os momentos mais importantes e difíceis que sua empresa vai passar serão divididos com seus sócios. Se a escolha de um sócio não for baseada em caráter, integridade e um espírito transformador, se for apenas visando um currículo ou cash, você corre risco de dividir seus sonhos com uma pessoa que não tenha a mesma paixão que você.

Existem os conselhos padrões: não seja sócio de esposo (a), não seja sócio de amigo, a relação que você tem com seu sócio, seja, ou não, familiar, não vai definir sucesso, porém irá garantir uma probabilidade bem alta de fracasso. Isso se estende para a contratação de familiares na empresa e outros. Quanto mais próximo, maior o desafio que se aplica não só pelo quesito relacional como também a questão de experiências e networking.  Quanto mais limitado se tornar o círculo de impacto dessa sua cadeia, menor as chances da sua empresa prosperar. 

Falando nisso, não adianta ter sócios com habilidades iguais. Na Lapa Low, por exemplo, temos um trio de executivos especializados em áreas completamente diferentes e como um network que combinado se torna inigualável. Eu cuido da gestão financeira e growth. A magia da cerveja está nas mãos de nosso segundo sócio e a nossa "bazuca" de marketing vem do pilar do nosso terceiro membro.

O fato de ser uma ciência, não torna esse processo simples que pode ser solucionado através da aplicação de uma fórmula. A maturidade adquirida ao longo dos anos vai te ajudar se você entender que não estamos em uma corrida de 100m. A sociedade é uma maratona e você tem que ter os desejos, interesses e regras muito bem alinhados para poder alcançar o sucesso. O que eu falo em 15 minutos hoje, eu levei 20 anos para aprender e entender, e sigo revisando e ajustando os meus processos e escolhas a cada dia. 

*Gabriel Boyer é um empreendedor de turnarounds, reconhecido no mercado por implementar processos de transformação em companhias em um período de apenas 18 meses. Atualmente é executivo na cervejaria fitness Lapa Low e atua no conselho do Rancho SFP e da Lavoro Seguros. 

Relacionadas